Bombeiros de Óbidos de luto com a morte de subchefe

0
350
“Hoje deixou-nos um dos nossos”, começa por referir a publicação nas redes sociais da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários do Concelho de Óbidos, lamentando a morte do subchefe Carlos Antunes, que hoje foi vítima de doença súbita no combate ao incêndio que deflagrou hoje no Landal (Caldas da Rainha).
“É com muita dor e consternação que informamos, que na sequência de um enfarte agudo de miocárdio, o Subchefe Carlos Alberto Ferreira Antunes, faleceu no exercício das suas funções, integrado no Combate a um Incêndio Florestal”, explicaram os soldados da paz obidenses. “Partiu um dos nossos, um dos melhores operacionais, um dos que mais disponibilidade dava ao Corpo de Bombeiros, um dos que estava sempre presente para ajudar e tantos, mas tantos incêndio ajudou a extinguir”, acrescentam, notando que “faleceu a fazer o que mais amava na vida, vitima de doença súbita, sendo nosso dever honrar a sua morte, através da continuidade da prestação do socorro a quem mais precisa de nós, com a mesma disponibilidade, altruísmo e abnegação que o Subchefe Carlos Antunes o fez durante os cerca de 35 anos que dedicou à causa dos Bombeiros”.
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, também enviou as suas condolências à família. “O Presidente da República apresenta as mais sentidas condolências à Família do Bombeiro Carlos Alberto Ferreira Antunes, hoje falecido ao serviço da comunidade, e à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Óbidos a que pertencia”, lê-se na nota da Presidência da República, onde é revelado que “o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa tenciona estar presente nas cerimónias fúnebres”.
Atualmente, há mais de 330 operacionais no teatro de operações, no combate às chamas que deflagraram depois da hora de almoço. No terreno estão atualmente 96 meios terrestres e seis meios aéreos (três helicóptero de combate, dois aviões de combate e um meio de coordenação).