Jorge Reis vai recandidatar-se e tem plano de investimento

0
47

O Caldas vai a eleições para os órgãos sociais no próximo dia 2 de Julho, duas semanas depois de terem sido aprovadas as contas do exercício de 2018/19.
No ponto 3 da assembleia-geral, Jorge Reis aproveitou para informar que o elenco directivo a que preside se vai recandidatar, com um programa de investimento em infra-estruturas para rentabilizar a verba superior a 1 milhão de euros que o clube recebeu da Petrogal pela cessão do direito de superfície do posto de abastecimento de combustíveis.
O acto eleitoral no clube estava inicialmente agendado para o final de Março, mas essa data não pôde ser cumprida devido á pandemia de covid-19.
Jorge Reis referiu que, apesar de a legislação permitir que associações com mais de 100 associados possam adiar assembleias-gerais até Outubro, entenderam “por bem que se façam as eleições”. “Pretendemos recandidatar-nos e que surjam mais listas”, observou o presidente da Direcção.
O dirigente lembrou que, neste momento, o Caldas “tem mais de 1 milhão de euros na conta, tem todos os seus compromissos assumidos e pagos, é um clube estável”.
O actual presidente apresentou as linhas gerais do seu projecto de investimento para aquela verba que o clube tem disponível, embora sem adiantar os valores a investir. O projecto passa por remodelar, ainda este ano, a bancada nascente do Campo da Mata, assim como colocar cadeiras na bancada de sócios e completar a cobertura. O projecto prevê ainda reforçar a iluminação, modernizar os balneários, a rouparia e o posto médico. Criar acessos e casa de banho para pessoas com mobilidade reduzida, wc na bancada nascente e colocar vídeo vigilância, “porque o clube tem sido sistematicamente assaltado”.
Na Quinta da Boneca, o clube pretende ter um contrato de uso exclusivo com a Câmara por 50 anos para ali poder também investir. O objectivo passa por criar mais dois campos, um de futebol de 11 e outro de futebol de 9, a nascente da actual bancada. Nesse área a candidatura de Jorge Reis pretende ainda construir um edifício que será a sede do clube. Para que tal seja possível, é necessário alterar o Plano Director Municipal daquele terreno. O clube já fez seguir para a autarquia um documento que permitirá desencadear o início desse processo.
Nas instalações que já existem naquele campo, o projecto prevê a remodelação do edificado existente, incluindo os balneários e as condições para os adeptos, incluindo colocação de cobertura nas bancadas.
Jorge Reis realça que se trata de um plano para deixar património para o clube, assim como melhorar em quantidade e qualidade as suas instalações desportivas. Esta é uma necessidade física que o clube tem, mas também contribuirá para que o clube possa completar o processo de certificação enquanto entidade formadora com melhor classificação do que a que está actualmente ao alcance do Caldas.
Jorge Reis adiantou que estes projectos poderão ter acompanhamento do investimento a 50% e 80%, consoante a intervenção seja construção nova ou recuperação de edificado existente.