Jovem regressa às raízes e abre a loja Infusa

0
207
Ana Filipa Ferreira produz, prepara e vende condimentos, chás e preparados para gin

A obidense Ana Filipa Ferreira trabalhou em Lisboa. Numa mudança de vida, saiu do banco e criou o seu negócio: a loja Infusa, que vende condimentos, infusões e preparados para gin. A pequena unidade de produção localiza-se no edifício do Caldas Empreende, onde a jovem trata, prepara e embala os produtos, depois de plantar, cuidar e colher os chás e condimentos nos terrenos em Óbidos

Mal entramos no edifício do Caldas Empreende somos “guiados” por um agradável cheiro a menta, e encontramos facilmente o gabinete da Infusa.
Essa é a marca criada por Ana Filipa Ferreira, jovem obidense, de 30 anos, que em Setembro do ano passado resolveu largar tudo e regressar às origens. “Estudei arquitectura paisagista em Lisboa e adorei o curso”, contou. Depois começou a trabalhar em campos de golfe, na Praia D’El Rey e também no Paço do Lumiar (Lisboa). Mais tarde foi trabalhar num banco (BNP), a tratar dos impostos italianos, mas procurava outros desafios.
“Já estava em Lisboa há muitos anos e até gostava do meu trabalho, em que tinha um bom salário”, mas sentia que perdia muito tempo em viagens curtas e ainda assim demoradas. Além disso, a maior parte dos amigos e família estava no Oeste. A esses factores juntou-se outro facto: “sempre quis ter um projecto meu”. E decidiu regressar às origens.
Inicialmente a ideia era uma casa de chá, mas optou por produzir e aproveitar os terrenos que tinha. Em Janeiro deste ano conseguiu um espaço na incubadora de empresas.
“Agradeço imenso à AIRO”, frisou, fazendo notar que a associação apoiou os empreendedores durante a pandemia, não cobrando rendas e oferecendo formações. É ali que funciona grande parte do negócio, com uma zona de recepção de mercadoria, uma de lavagem, uma de desidratação e uma de embalamento e armazenamento.

PANDEMIA OBRIGOU A MUDAR PLANOS

As vendas começaram em Março, mas rebentou a situação de pandemia, “pelo que praticamente não vendia nada”. Dedicou-se então aos campos de plantação no concelho de Óbidos, ao lançamento da loja online e a criar novos rótulos. É tudo feito e criado pela própria. Entretanto, conta, “começaram a cair encomendas”. Já produz infusões simples e tisanas, embaladas em sacos pretos, para manter a qualidade dos chás aos quais não acrescenta nenhum tipo de aditivo ou adoçante, pelo que precisam de mais tempo de infusão. A jovem vende também cerca de 20 diferentes condimentos embalados em tubos de ensaio, com rolha de cortiça. Nestes casos, depois de colher as ervas, já ao final do dia, estas ficam de molho numa solução desinfectante (o chamado lava saladas), sendo posteriormente lavadas com água e colocadas em tabuleiros de rede para serem desidratadas (um processo que demora geralmente cerca de 15 horas). Também produz preparados para gin, que são pequenos sacos com receitas para diferentes gins. Têm os nomes das notas musicais e falta apenas o “Si”. “Estou à espera da época dos figos”, revelou. O “Lá”, por exemplo, combina os morangos do Oeste com pétalas de rosa e pimenta preta. No caso da fruta para o gin, compra-a localmente, excepto em casos específicos, como a laranja do Algarve. É desinfectada, fatiada, mergulhada numa solução de água e mel e desidratada durante um tempo semelhante, mas a temperaturas mais altas. Vende ainda frascos com rodelas de citrinos para cocktails ou águas aromatizadas e acessórios em porcelana para o chá.
Os produtos da Infusa podem ser adquiridos on-line ou também nas lojas das Azeitonas do Oeste, garrafeira Bago d’Ouro (nas Caldas) e na Lizqueijo (Leiria).