Loja do Sr. Jacinto decide mostrar espólio antigo da retrosaria

0
226
Samuel Jacinto, com a mulher e filho, mostrando o espólio da retrosaria da empresa da sua família

A loja do Sr. Jacinto, na Rua Miguel Bombarda é actualmente uma concept-store mas orgulha-se do seu passado de retrosaria e está a expor parte do seu espólio, incluindo algumas peças centenárias

A loja do Sr. Jacinto é uma das retrosarias mais antigas da cidade, que se transformou numa loja de autor que abre portas à realização de workshops, eventos e exposições.
Aquela concept-store é gerida por Samuel Jacinto e pela mulher e, apesar de apostar no design e arte contemporânea, ainda guarda memórias e colecções de produtos que foram vendidos pelo pai e pelo avô do actual responsável.
“Guardámos peças e colecções que correspondem a várias fases desta casa comercial”, disse o designer Samuel Jacinto, que trabalha também na concepção de peças únicas em madeira.
O fiel depositário do espólio da loja mostrou à Gazeta das Caldas os mais variados objectos que se encontram expostos numa das áreas da loja, nomeadamente uma máquina de costura da sua avó, D. Augusta. “A máquina já soma mais de 130 anos, pois já fui eu que a restaurei e consegui descobrir o número de série e a data em que foi feita, 1890”, explicou Samuel Jacinto, que se lembra de ver a avó a trabalhar nesta máquina, adquirida já usada na Baixa de Lisboa.
Desta exposição podem ainda ser apreciadas tesouras antigas de recorte, que se usavam para fazer os catálogos de amostras de tecido. “Temos todas as caixas de vários produtos têxteis que estavam em armazém”, contou o responsável, explicando que nalguns casos de marcas portuguesas conseguem “ter na colecção desde a primeira até à ultima”, ou seja, desde que à fábrica começou a produzir até abrir à falência. Ali há vários exemplos de marcas portuguesas de molas, agulhas, alfinetes, fita de nastro, meias e peças de roupa como camisolas interiores, todas de produção nacional como da Marvila, Termotebe, Premali e Penavila.
A maioria das peças de colecção têm entre 80 e 90 anos, pois remetem para os produtos que eram comercializados nos anos 1950 e 1960. Samuel Jacinto detalhou, por exemplo, que do espólio da colecção fazem parte catálogos de linhas da marca nacional Âncora, já vendida. Estes catálogos já foram até fotografados por uma vendedora da actual marca Coats and Clarke de forma a poder constar no espaço museológico que possuem. Desta colecção há mais preciosidades que serão mostradas aos clientes de loja em próximas exposições.