Moradores de Salir do Porto querem menos velocidade dos automóveis nas ruas

0
74
Com o confinamento passou a haver menos carros nas estradas e as vendas de novos automóveis baixaram drasticamente, penalizando a indústria

Um grupo de moradores de Salir do Porto entregaram um abaixo-assinado, no qual alertam para a sinistralidade rodoviária e pedem à Câmara Municipal das Caldas da Rainha para que sejam tomadas medidas que minimizem os riscos de acidente e da poluição sonora. “Antes que seja tarde…” alertam no documento discutido na Assembleia.

No documento, com mais de uma centena de assinaturas, os moradores de Salir do Porto alertam para a existência de motos e motociclos que “circulam a grande velocidade e do ruído ensurdecedor que provocam” e que são motivo de preocupação da população, sobretudo dos moradores na Rua da Ponte, da Estrada Atlântica e Rua Professor Montenegro.

Estas artérias, dizem, têm “uma inclinação assinalável e são propícias para quem faz das nossas ruas autênticas pistas de aceleração, pondo em risco a vida de quem ousa atravessá-las, principalmente ao fim-de-semana”, lê-se no documento. A tudo isto acresce o ruído.

Tendo em conta esta época do Verão e a quantidade de pessoas que se deslocam aquela localidade, os moradores solicitam a colocação de sinalética adequada, redutores de velocidade e sugerem ainda a existência de maior fiscalização policial com controlo de velocidade, justificando tratar-se de uma zona habitacional.

No documento, que intutulam “Antes que seja tarde…” os subscritores lembram a “recta” de Tornada, onde aontecia um elevado número de sinistros, mas que com a colocação de sinalética e outras medidas que contribuíram para a redução da velocidade, o problema foi resolvido. Querem que o mesmo seja feito na sua localidade e pedem uma intervenção rápida.

O abaixo assinado foi enviado Câmara e Assembleia Municipal, Junta e Assembleia de Freguesia e GNR.

“AS RUAS SÃO AUTÊNTICAS PISTAS”

O problema foi também abordado pelo presidente da União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto, Arnaldo Custódio, na Assembleia Municipal das Caldas, que decorreu no passado dia 28 de Julho. O autarca, que também subscreveu o abaixo-assinado, disse acompanhar as preocupações da população de Salir do Porto. As ruas em questão “são autênticas pistas onde não há o mínimo respeito pela população”, disse, lembrando que já se verificou um acidente com uma vitima mortal (o próprio motocicilista) e que gostariam que esta situação não se voltasse a repetir.
Referindo-se à Rua da Ponte, o autarca explicou que, por reclamação dos moradores, já foi feita uma intervenção com sinalização, “mas que não resultou”, pois as placas de 40 km/hora não são respeitadas. Também a Rua Professor Montenegro já está sinalizada e existe uma pequena lomba. Entretanto, tinha sido pedida a colocação de uma outra, “que caiu no esquecimento”, ironizou.
O autarca revelou que os vereadores não são apologistas da colocação de lombas, mas reiterou que têm que ser tomadas medidas e pediu um estudo que acautele esta situação para defesa dos cidadãos.