A cerimónia decorreu no jardim do Centro de Artes no final de tarde do dia 22 de Julho

Os novos órgãos sociais do Sporting das Caldas tomaram posse no dia 22 de Julho, no jardim do Centro de Artes. O desafio é complexo, dada a situação financeira do clube e o contexto de pandemia, mas a direcção, liderada por Filipe Mateus, propõe-se a sanear a situação financeira do clube e a retomar modalidades

Na tarde de 22 de Julho realizou-se no jardim do Centro de Artes a tomada de posse dos órgãos sociais do Sporting Clube das Caldas.
Na cerimónia, o novo presidente da direcção do centenário clube caldense, Filipe Mateus, revelou que existe “a ambição de ter outras modalidades, como a recuperação do ténis de mesa”, numa primeira fase, e depois também o basquetebol, o andebol e o hóquei em patins, tudo na vertente da formação.
Outra das apostas será o voleibol feminino. “Devemos apostar nos desportos colectivos femininos nas Caldas, porque há poucos”, afirmou Filipe Mateus. Entre as modalidades que o clube gostaria de voltar a ter está também o cicloturismo.
Em termos de voleibol, a equipa sénior masculina está praticamente fechada, com sete jovens formados no clube.
“Queremos fazer um campeonato parecido com o do ano passado e garantir a manutenção na 1ª Divisão”, estabeleceu.
As equipas de veteranos e a organização dos torneios indoor e de praia nestes escalões são para manter.
Entre os projectos a desenvolver está, também, a criação de um torneio municipal de voleibol que envolva todas as escolas do concelho.
A direcção está actualmente em busca de patrocinadores para a equipa, tarefa que ganha ainda mais importância, porque alguns dos que já patrocinavam não vão poder continuar a fazê-lo devido às dificuldades criadas pela pandemia.
Uma das maiores necessidades é a refiliação de sócios, porque actualmente o clube conta com cerca de 500, mas muito poucos pagantes. Outra necessidade premente é a revisão e actualização dos estatutos, que têm mais de 40 anos e que ainda falam em… escudos. “É necessária uma profunda revisão”, esclareceu. Para tal está prevista a criação de um conselho consultivo e estratégico que possa reunir as principais necessidades.
Sem esconder que “o clube atravessa uma situação bastante complicada em termos financeiros”, o novo presidente aponta que o grande objectivo é fazer com que “o clube, que é centenário, volte aos tempos áureos”.
Entretanto, a gala do clube foi adiada para 14 de Novembro.

CÂMARA AO LADO DO CLUBE

O presidente da Câmara, Fernando Tinta Ferreira, esteve presente na tomada de posse dos dirigentes dos leões e reconheceu a importância desta colectividade para a comunidade caldense, evocando a história do clube.
O autarca pediu uma salva de palmas para o antigo dirigente, Mário Tavares, que esteve presente na tomada de posse. Tinta Ferreira agradeceu o trabalho, o empenho e a dedicação do dirigente ao clube e disse que a presença deste significava “esta transição entre o passado e o presente, com a perspectiva no futuro”.
O presidente da Câmara lembrou que o Sporting das Caldas “não vive o melhor momento da sua vida” e lembrou que houve “um conjunto de circunstâncias que levaram a uma crise financeira, de dirigentes e de sócios”, lamentando a falta de envolvimento que se verificava noutros tempos. Ainda assim, o autarca fez questão de se mostrar optimista em relação a um futuro que consiga conjugar o saneamento das dificuldades financeiras com a aposta na formação.
“Sei que é um processo difícil”, reconheceu, lembrando ainda o orgulho que é para a cidade ter uma equipa no escalão principal há uma década. “É um feito histórico”, afirmou. “A Câmara Municipal tudo fará para que o clube tenha continuidade”, garantiu Tinta Ferreira, mostrando-se contente com o facto de não terem aparecido duas listas ao acto eleitoral interno, como chegou a ser falado. “Os sócios estão juntos, unidos em prol do clube”, disse.

INTERVENÇÃO NO PAVILHÃO RAUL JARDIM DA GRAÇA

Actualmente está a ser concluída uma intervenção no pavilhão Raul Jardim da Graça, avaliada em cerca de 150 mil euros. Tratou-se da substituição da cobertura, afagamento do piso, pintura e impermeabilizações e uma intervenção também nos balneários. A sede do clube deverá manter-se também no pavilhão.