Carlos Pinto Machado candidata-se em Óbidos pelo Partido da Terra

0
180
Cabeça de lista deixa fortes críticas à gestão do município, que é da responsabilidade do PSD desde 2001

Candidato pelo CDS-PP nas duas últimas eleições autárquicas, o empresário concorre, desta feita, à liderança dos destinos da Câmara como independente pelo Movimento o Partido da Terra

Carlos Pinto Machado candidata-se pela terceira vez à Câmara de Óbidos, mas, desta feita, pelo Movimento o Partido da Terra (MPT). É a primeira vez que aquele partido irá a eleições no concelho, representado pelo empresário do ramo imobiliário e turismo, que considera que “existe um vazio de ideias e de ações que visem melhorar as condições de vida dos obidenses”. Defende, por isso, que é preciso olhar para o concelho de forma integrada e construir soluções para o seu desenvolvimento económico e sustentável.
O candidato, de 55 anos, assume que “estamos fim de um ciclo de 20 anos em que uma “geringonça” liderada pelo PSD, coadjuvada pelo PS, que governou o concelho e gerou um saldo pouco positivo para a maioria da população e para o território” e que a população está “farta de Direita e de Esquerda que só se preocupam com as suas dinâmicas partidárias”. Carlos Pinto Machado destaca que se trata de um concelho rural, envelhecido e empobrecido, em que uma grande faixa da população que precisa de apoio solidário, pois sobrevive com pensões rurais que considera “absolutamente indignas”.

“Somos um concelho
magnífico, com história, com praias, com uma
lagoa, com floresta, que está mal gerido, mal divulgado”

Carlos Pinto Machado

No que respeita aos mais novos, considera que deparam-se com a falta de oferta de habitação a preços acessíveis e de empregos. “Nem todos os jovens têm de ser licenciados”, realça o candidato, que considera “imperativo” criar carreiras profissionais apostando em áreas de formação profissional adequadas às necessidades do concelho.
Carlos Pinto Machado defende a criação de emprego sustentável, que considera que que só será possível atraindo investimento, um comprimsso que assume caso seja eleito. “Tornarei o concelho de Óbidos apetecível para os investidores, farei aquilo que nos últimos 20 anos não conseguiram fazer. Criarei condições para desenvolver o concelho, proporcionando a quem lá vive a qualidade de vida que merecem”, refere na nota de apresentação da sua candidatura.
No que respeita ao Turismo defende a criação de dinâmicas promocionais que visem atrair turismo de qualidade, que permaneça no concelho por mais do que um dia, que utilize as estruturas de alojamento existentes, desenvolva a restauração, a animação turística e o comércio local.
“Somos um concelho magnífico, com história, com praias, com uma lagoa, com floresta, que está mal gerido, mal divulgado”, considera o candidato que quer alicerçar estas dinâmicas no fortalecimento da marca “Óbidos” associada à marca “Portugal” como destino turístico de excelência.
Tendo por lema da candidatura “O nosso partido é Óbidos. Primeiro os da Terra!”, Carlos Pinto Machado diz que tem profissão e rendimento que lhe permitem “não precisar de emprego político” e que concorre para servir o concelho e a sua população. No currículo apresenta uma carreira de cerca 25 anos no setor financeiro. Foi fundador da Concelhia do CDS-PP em Óbidos, onde foi dirigente, assim como da Distrital e conselheiro nacional.
O candidato vai a votos com João Paulo Cardoso (BE), Paulo Gonçalves (PS), Filipe Daniel (PSD) e Sabino Félix (Chega!). A CDU ainda não deu a conhecer o candidato autárquico em Óbidos.