PSD escolhe candidatos em mais três concelhos

0
152

Hermínio Rodrigues, “vice” em Alcobaça, ambiciona suceder a Paulo Inácio. Já Nuno Mota pretende recuperar Bombarral para o PSD e Filipe Sales quer fazer o mesmo em Peniche

O PSD encerrou, na semana passada, o processo de escolhas dos candidatos às câmaras da região nas próximas eleições autárquicas, sendo a escolha de Nuno Mota no Bombarral a maior novidade.
O nome do vereador social-democrata, de 55 anos, foi anunciado oficialmente, na semana passada, por José Silvano, secretário-geral do partido, no mesmo dia em que Hermínio Rodrigues e Filipe Sales foram confirmados como cabeças de lista em Alcobaça e Peniche.
Contudo, no Bombarral, a escolha do candidato foi atribulada. A concelhia preferia ver como candidato o advogado Paulo Blanco, mas o nome não passou no crivo de Rui Rio e Nuno Mota, líder local do partido, acabaria por ser escolhido por unanimidade. O antigo adjunto de Luís Camilo Duarte (2005-2009) e vice-presidente José Manuel Vieira (2013-17), foi número 2 da lista do PSD há quatro anos, quando o partido perdeu a câmara para o socialista Ricardo Fernandes, o que não sucedia desde 1989.

“Sucessão” em Alcobaça
Em Alcobaça, o PSD optou por candidatar Hermínio Rodrigues, vereador há 24 anos: os primeiros 12 nos executivos de José Gonçalves Sapinho e os últimos 12 como “vice” de Paulo Inácio. Apesar de ter sido constituído arguido no processo dos centros escolares, o autarca com mais tempo de funções nos Paços do Concelho viu renovada a confiança política do partido.
De resto, os social-democratas estão a atravessar o maior ciclo de sempre de poder no concelho e tentam aquilo que se pode classificar como uma sucessão suave, dado que a lista para a Câmara deve implicar apenas uma mudança nos primeiros nomes: Paulo Mateus, líder da concelhia e antigo presidente da junta da Cela, entra para número 3, subindo Inês Silva para vice-presidente.
Há quatro anos, o PSD recuperou a maioria absoluta no concelho, subindo substancialmente a votação e ganhando o vereador “perdido” pela CDU.

E em Peniche?
Peniche é território menos “fértil” para os social-democratas, que não vencem eleições autárquicas no concelho desde 1993. Contudo, o partido decidiu repetir a mesma fórmula de 2017, candidatando à câmara Filipe Sales, líder da concelhia, que há quatro anos ficou a 253 votos do independente Henrique Bertino (GCEPP), que arrebatou o poder à CDU, iniciando novo ciclo político em Peniche. ■

Antigo vice-presidente da Câmara do Bombarral, Nuno Mota tenta recuperar autarquia ao PS
Há 24 em funções como vereador, Hermínio Rodrigues vai tentar prolongar o ciclo de poder do PSD em Alcobaça