Rui Rio destaca nas Caldas importância das autárquicas para o PSD

0
180
O líder dos sociais-democratas junto dos candidatos às 16 câmaras do distrito de Leiria, numa apresentação no CCC

Líder dos sociais-democratas esteve nas Caldas para apresentar os candidatos do partido às 16 câmaras do distrito e dizer que o PSD não se pode “dar ao luxo” de perder mais autarquias

Rui Rio acredita que o PSD terá “um bom resultado” nas próximas eleições autárquicas, muito pela “qualidade” dos candidatos, mas também pelo “desgaste que em cada momento os governos têm naquilo que é o apoio que dão aos seus candidatos e neste caso aos candidatos do Partido Socialista”. Nas Caldas, onde presidiu à apresentação dos cabeças-de-lista do PSD aos 16 municípios do distrito de Leiria, líder dos sociais-democratas reconheceu que “o melhor resultado possível é ter mais autarcas e presidentes de câmara” do que tiveram em 2017. Num distrito que é favorável ao PSD, detentor de 52 câmaras e juntas de freguesia, enquanto que o PS possui 41, o dirigente partidário quer inverter a situação nacional, que é sobretudo rosa. O PSD tem 98 presidentes de Câmara, o PS 161, “é uma diferença muito grande”, reconheceu, acrescentando que o PSD é uma “grande força no poder local” e que “não se pode dar ao luxo” de perder mais autarquias. É no poder local que asseguram a “continuidade, enquanto o único partido que pode disputar o poder, à escala nacional, com o PS”, disse o dirigente, que acredita que bom resultado cumpre a implementação do partido.
O ex-autarca lembrou que nas câmaras são tomadas decisões “absolutamente decisivas” para a qualidade de vida das pessoas e que trabalham com um “baixíssimo endividamento”.
Antes, já Tinta Ferreira, recandidato social-democrata à Câmara das Caldas e anfitrião do encontro, tinha realçado o empenho de Rui Rio no fortalecimento do poder local e que contam com ele na “defesa das autarquias, que têm sido claramente desconsideradas por este governo”. Criticou o governo PS por não “assumir os compromissos” para com as autarquias, lembrando que ainda não as ressarciu das despesas Covid nem dos gastos em equipamentos para garantir o ensino à distância. Referindo-se à descentralização de competências da administração central para as autarquias, referiu que há áreas, como a saúde, educação cultura e área social, em que não se sabe ao certo a quem compete o quê. “Ao gastar dinheiro naquilo que são competências do governo, as autarquias não conseguem fazer bem o que verdadeiramente lhes compete e não podem baixar a carga fiscal municipal”, disse, acrescentando que os autarcas acompanham Rui Rio na defesa de uma nova lei das finanças locais.
Tinta Ferreira pediu a intervenção de Rio também para garantir uma maior participação das autarquias na definição dos programas operacionais regionais, destacando que não se pode recuar no valor a executar de fundos comunitários no próximo quadro e que as autarquias são melhores executantes do que a administração central.
Na sessão foi ainda apresentado um contrato de confiança assinado pelos 16 candidatos do PSD ao distrito. Entre os seis “grandes” designios estão o servir as pessoas e contribuir para o seu bem-estar, com prioridade para a coesão social e territorial, fortalecer o poder local e promover a properidade, a economia local e a criação de emprego. Defendem uma aposta no intermunicipalismo e trabalho em rede, reforço do papel da sociedade civil e a valorização do papel das juntas de freguesia enquanto componente do poder local mais próxima das comunidades.
Na região são também candidatos pelo PSD, Hermínio Rodrigues (Alcobaça), Fátima Duarte (Nazaré), Daniel Filipe (Óbidos), Nuno Mota (Bombarral) e Filipe Sales (Peniche).