CHO nega carência de material hospitalar

0
238
O CHO realizou 3677 cirurgias e 74.640 consultas externas no primeiro semestre de 2019. Lista de espera reduziram-se.

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) emitiu um comunicado no qual nega a carência de material de consumo clínico e de equipamentos, embora agradeça as doações que têm chegado à instituição.

“Este Centro Hospitalar não promoveu quaisquer campanhas de angariação de bens alimentares, material de consumo clínico ou de equipamentos, nem tem carência de algum bem essencial para o seu regular funcionamento”, revela o CHO em comunicado.

O que tem acontecido, ainda segundo a instituição, é que vários particulares e empresas têm questionado o Centro Hospitalar sobre que tipo de bens podem doar. “Nesse âmbito, informam-se quais as necessidades prioritárias e com maior facilidade de incorporação como doação”, acrescenta.

A aceitação dessas doações “não significa que se verifiquem ruturas” desses bens no hospital, “ao contrário do que tem sido amplamente noticiado”, refere o CHO, acrescentando que tem satisfeito “as necessidades básicas, nomeadamente as sentidas neste período pandémico, não obstante se verificar no momento atual um aumento de consumos e dificuldades no fornecimento por parte de várias empresas”.

O CHO realça que as doações  são “fruto de generosidade comunitária e da responsabilidade social de empresas” e, como tal, são sempre bem acolhidas, “desde que adequadas ao uso em ambiente hospitalar”.

Em relação à alimentação dos profissionais na linha da frente contra a covid-19, esta tem sido providenciada de forma gratuita, quer na urgência, quer no internamento. “Tanto as refeições dos profissionais, como as dos utentes internados são servidas por uma empresa externa”, refere o CHO, que mesmo assim agradece “os inúmeros bens alimentares que têm sido doados (snacks, doces, águas, entre outros), os quais têm sido distribuídos aos profissionais, que estão na linha da frente”.

A comunicação do Centro Hospitalar termina com um agradecimento à comunidade “a enorme solidariedade” que a instituição e os seus profissionais têm merecido, acrescentando que todos aqueles que pretendam apoiar, poderão manifestar a sua intenção através dos contactos disponíveis no site institucional, de modo a aferir a adequação da oferta.