Alice Aranha tece as suas roupas nas Caldas

0
351

Designer têxtil está a trabalhar nas Caldas onde se dedica à tecelagem e à tinturaria natural. A criativa dá workshops um pouco por todo o país

A designer tem o seu ateliê nas instalações da associação Fá-lo

Vem dos tempos da sua meninice o gosto pelo croché e tricô que aprendeu com as familiares. A lisboeta Alice Aranha, que agora vive nas Caldas da Rainha e que começou cedo a vestir as suas bonecas, tem por cá a sua oficina de trabalho onde se dedica a tecer e a tingir, tudo com métodos e produtos naturais.
Estudou na Escola António Arroio e seguiu para Londres, para se formar em Design Têxtil. Esta especialista na arte de entrelaçar fios fá-lo nos teares artesanais que trouxe para o seu ateliê nas Caldas, que se encontra na associação Fá-lo, próximo da Praça 5 de Outubro. Além de tecer os próprios tecidos, também carda a lã e tinge os seus fios naturais.

É nas Caldas que a designer têxtil tem teares manuais onde faz o próprio tecido com o qual cria peças de roupa

“Nas Caldas encontrei um clima onde o saber fazer também é valorizado em conjunto com o academia”, disse a designer, que veio viver para cidade com o namorado, que estuda Artes Plásticas na ESAD.
“Senti-me bem recebida na cidade”, contou a autora, que se preocupa com as questões da sustentabilidade não só na produção dos tecidos como no tingimento.
Nesta fase, está interessada também na fiação, ou seja, pretende construir tecido do zero, fiando o próprio fio que, depois, dará corpo ao tecido.
“Tenho tido muitas solicitações para dar workshops”, revelou a antiga atriz, que prefere trabalhar as fibras naturais: a lã, o linho, a seda e o cânhamo. Dá também formação em Tecelagem e em Tinturaria Natural.

Além da tecelagem dedica-se à joalharia em croché

Com o tecido que constrói, Alice Aranha faz peças de roupa e praticamente sem qualquer costura, pois é feita com base na forma retangular do tecido. Além de tops, também faz sacos que vende online e dá resposta a encomendas. As peças custam acima dos 100 euros pois são tecidos e têm as fibras tingidas pela própria designer.
Alice Aranha também se dedica à joalharia em croché, que desenha usando fios naturais que ela tinge. Com eles cria belos colares e brincos, feitos com pontos muito finos e que tricota, inspirando-se em formas naturais e florais.
Alice Aranha, que também trabalha em cenografia para espetáculos em cena em Lisboa, em locais como o CCB, está também a preparar uma exposição do seu trabalho que será apresentada em S. Miguel no próximo ano.

A passagem por Inglaterra permitiu a autora especializar-se mas, na verdade, Alice Aranha troca o cosmopolitismo pelos sabores autênticos que encontra na Praça da Fruta. “Não troco um bom pêssego por uma exposição…”, exemplificou a artista, feliz por ter encontrado espaço para a sua oficina nas Caldas da Rainha, algo difícil de conseguir por causa dos elevados preços das rendas em Lisboa. ■

 

Alice Aranha
Designer têxtil

Cresceu em S. Miguel, nos Açores, e aos 14 anos regressou a Lisboa. Ingressou na Escola António Arroio, onde estudou Tecelagem. Foi em Inglaterra, na Chelsea College of Arts, UAL (University of the Arts London) onde tirou o curso de Design Têxtil, entre 2015 e 2018. Já trabalhou em cenografia e figurinos e tem o oitavo grau de piano, tendo sido uma das personagens principais do filme “Colo”, da realizadora Teresa Villaverde. Vive nas Caldas da Rainha, onde carda, fia, tece e tinge as fibras com faz tecido e peças de roupa que quase não têm costuras nem cortes