Banda Comércio Indústria apresenta novas peças no CCC

0
236
A BCI regressa em grande ao centro cultural das Caldas presenteando o público com novas obras

A Banda Comércio e Indústria (BCI) está de regresso para um concerto no CCC, esta terça-feira, dia 5 de outubro, pelas 16h00. A atuação é intitulada “Música e Monumentos” e, por isso, além da música serão projetadas fotografias de Nuno Conceição dos monumentos caldenses, como a Igreja de Nossa Senhora do Pópulo.
“Vai ser um concerto muito especial, porque vamos estrear uma obra nova, composta para a nossa banda com o nome de “Abertura para D. Leonor”, tema composto por Lino Guerreiro, encomendado pela BCI e dedicado à fundadora das Caldas da Rainha”, disse o maestro Adelino Mota, acrescentando que a banda vai interpretar também a peça “Caldas da Rainha” criada pelo compositor holandês Jacob de Haan, em 2015, também dedicada à cidade termal.
Segundo o coordenador da Banda, a atuação vai contar com a interpretação de várias obras de homenagem à música portuguesa, até porque terá lugar a 5 de outubro, dia em que se assinala a implantação da República em Portugal. A atuação contará com um medley, também em estreia, denominado por “Recolhas Portuguesas”.

A BCI regressa em grande ao centro cultural das Caldas presenteando o público com novas obras

O concerto da BCI inclui, ainda, uma peça de Astor Piazzolla, dado que se comemora este ano o centenário do seu nascimento. A filarmónica apresentará uma solista da própria banda (onde toca Clarinete) mas que estuda violino na Universidade de Aveiro e, por isso, será a responsável pela interpretação do famoso “Libertango”. E como também se comemora os 100 anos do compositor americano Alfred Reed (um dos mais importantes compositores para Banda do século XX), a BCI vai interpretar o seu célebre tema “El Camino Real”, sendo, ainda, prestada homenagem a outro importante compositor: o grego Mikis Theodorakis, falecido a 2 de setembro. “
“Vamos tocar a peça que mais fama mundial lhe deu”, devido ao filme “Zorba The Greek”, disse Adelino Mota. O maestro sublinhou o facto de este ser o primeiro concerto no CCC sem restrição de número de espetadores (embora com uso obrigatório de máscara). E, como tal, a BCI gostaria de poder contar com casa cheia.
A banda das Caldas, composta por 60 elementos com idades entre os 12 e os 62 anos, no pós-pandemia já participou nas iniciativas “Há Bandas no Parque” e “Há Fruta no Parque”.
Este concerto está inserido num programa nacional que envolve dezenas de bandas, idealizado pela Confederação Musical Portuguesa e que conta com o apoio do Ministério da Cultura, através do Programa Garantir Cultura. ■