Banda Xeques Orquestra assinala 30 anos de espetáculos um pouco por todo o país

0
321

Grupo da região está de parabéns. Completa três décadas de existência e continuam a animar festas do povo.

Ninguém fica indiferente a uma atuação ao vivo dos Xeques Orquestra, grupo que celebra 30 anos, na próxima segunda-feira, 10 de outubro. O grupo musical tem quatro cantores e vários músicos, entre eles uma secção de metais. Em palco há, também, um par de bailarinos que dança durante toda a atuação. Esta é complementada com fogo preso, jogos de luzes e de imagens, instalados nos ecrãs do seu camião palco.
Todos os anos, o grupo prepara uma nova digressão, subordinada a um tema e apresenta ao público um novo espetáculo musical onde não faltam momentos dedicados a canções da música portuguesa e também internacional, sempre atentos às novas sonoridades.
Os Xeques Orquestra animam festas e romarias e também fazem atuações em eventos empresariais e corporativos.
Filipe Correia é líder deste grupo e contou à Gazeta das Caldas como tudo começou na aldeia no Carvalhal (Bombarral).
Ele e o irmão, Rui Correia, oriundos da aldeia da Boavista (Bombarral), ambicionavam ter um grupo musical, para animar os bailes, e o objetivo foi atingido pois, em 1992, juntaram-se a mais alguns elementos do Carvalhal do Bom Jesus e deram início à banda Xeques. Inicialmente esta era constituída por Filipe Correia (voz), Rui Correia (teclista), Bruno Santos (trompete), Rui Braz (saxofone), Vasco Costa (bateria), João Pedro Granado (guitarrista) e Duarte (baixista).
O salto qualitativo dos Xeques deu-se em 2010 com a aquisição do camião-palco, que permitiu oferecer ao público um espetáculo diferente do habitual neste tipo de concertos, num cenário móvel e uma aposta em cenários de ecrãs, luzes, som e vários efeitos que se juntaram à performance dos músicos.
“Na altura, inspirámo-nos nalguns grupos do Norte que já atuavam desta forma”, disse Filipe Correia, explicando ainda que, em média, o grupo que coordena “dá cerca de 60 espetáculos por ano”.
Filipe Correia, além de ser um dos cantores é quem toma as muitas decisões relativas ao grupo. “Faço-o com toda a vaidade e paixão”, disse o coordenador deste coletivo de 15 elementos em palco – entre músicos, cantores e bailarinos -, além dos sete elementos da equipa técnica.
“Tocamos mais fora desta região”, explicou o músico, acrescentando que a banda mantém as atuações em cinco ou seis festas da região em localidades como em Peniche, Ferrel, Atouguia, Bombarral e Vau, mantendo, deste modo, a ligação ao Oeste.
No final de 2018 atuaram na festa de Passagem de Ano nas Caldas e, este ano, os Xeques Orquestra vão animar a chegada de 2023, na cidade de Peniche.