Caldense lançou EP e apresenta-o no domingo

0
525

Catarina Branco lançou um novo EP e vai apresentá-lo, a 7 e a 9 de junho, em S. Martinho e nas Caldas

Catarina Branco editou recentemente um EP de versões de canções tradicionais, “Não me peças mais canções”, uma homenagem ao Grupo Coral e Musical da Casa de Pessoal do Hospital das Caldas da Rainha do qual os pais fazem parte. Foi aliá fundado pelo pai, Júlio Branco, em 2011.
A artista, de 28 anos, procura neste disco, lançado em finais de maio, “estender os limites dos géneros musicais alargando os extremos da eletro-synth pop, a folk e o tradicional”.
“O que faço é reinventar as canções que ouvi ao longo de toda a minha vida dando-lhes nova roupagem”, disse a autora que compõe, interpreta e também toca em todos os temas de “Não me peças mais canções”.
No dia 7 de junho, Catarina Branco com o Grupo Coral e Musical da Casa de Pessoal do Hospital de Caldas da Rainha vai atuar, pelas 21h30, na Escola Básica e Secundária de São Martinho do Porto (onde a autora estudou) e, no domingo, dia 9 de junho, às 16h30, com o mesmo coro, vai atuar no Coreto do Parque D. Carlos I.
A autora estudou piano no Conservatório das Caldas da Rainha mas decidiu ingressar pelas Artes Plásticas na ESAD.CR. E por influência do seu irmão, regressou às canções, primeiro no seu quarto e depois integrando grupos musicais de amigos.
Foi em seguida para Lisboa para realizar a sua pós-graduação em Arte Sonora nas Belas Artes e passou também a atuar em nome próprio, algo que faz desde 2018. Catarina Branco também compõe sempre em português.
“As primeiras memórias relacionadas com ouvir música com mais atenção é escutando os meus pais no Coro do Hospital”, sublinhou a autora que neste novo EP além da voz, toca teclados, viola amarantina e percussões acústicas.
A caldense – que toca pelo menos piano, viola e baixo – já editou em 2019 o seu EP de estreia “Tá Sol” e, em 2022, o álbum “Vida Plena”. A multi-instrumentista gostaria de fazer mais concertos e de um dia poder compôr para outros artistas. “Não idealizo uma vida de estrela da indústria, mas gostaria de viver confortavelmente da minha música”, disse Catarina Branco que vai ter outra caldense, Raquel Pimpão, nestas duas atuações que decorrerão quer em S. Martinho quer nas Caldas.
A autora, que já tocou várias vezes no Caldas Late Night, escolheu para a primeira amostra deste seu último EP a canção “A Minha Saia Velhinha” pois, segundo a artista, é a canção ligada ao grupo coral dos seus pais da qual “tem mais memória”. ■