CCC vai concorrer a candidatura para programação em julho

0
356
O centro cultural e de congressos serviu de sede para encontro pioneiro que era desejado pela rede de teatros do país

CCC vai candidatar-se a financiamento para a programação dos próximos quatro anos

Até ao próximo mês julho, há um novo ciclo de apoio para teatros credenciados que assim poderão candidatar-se a apoio para programação para os próximos quatro anos. No total há 2,5 milhões de euros, por ano, para apoiar os teatros e cine-teatros do país.
“Acreditamos que os teatros que aderiram à rede, têm aqui uma nova oportunidade de apoio”, disse Américo Rodrigues, o diretor da DGArtes que esteve nas Caldas, a 11 de maio, a participar no Encontro entre Artistas e Programadores da Rede de Teatros e Cine- teatros portugueses (RTCP), rede que se formou há dois anos.
Segundo o diretor do CCC, Mário Branquinho, o equipamento caldense que já integra a RTCP vai candidatar-se a este apoio, ao patamar dos 200 mil euros que, na prática, será a400 mil euros pois metade será financiado pela estrutura (com o apoio da Câmara) e os restantes 50% terão apoio da DGArtes. O CCC terá que provar que aposta em artistas emergentes, em artistas locais e internacionais, que faz acolhimentos e que participa em co- produções de várias áreas artísticas, além de ter que cumprir várias outras exigências técnicas e relacionadas com a equipa de trabalho.
“Não é fácil para nós apostar em residências artisticas pois não podemos ter o palco ocupado em permanência, mas estamos a iniciar parcerias com a Associação Osso e com a ESAD.CR e que serão cimentadas ao longo do tempo”, referiu o diretor.

Encontro pioneiro no CCC
O encontro “Diálogos em Rede”, foi pioneiro que juntou criadores e programadores culturais. O evento contou com mais de 300 participantes de norte a sul do país e que realizaram, ao longo do dia, mais de 400 reuniões formais e informais, nos vários espaços do CCC.
Américo Rodrigues diz que a rede de teatros “está a crescer” e que há outro tipo de apoio ligado à qualificação dos recursos humanos destes espaços. “Por todo o país já participaram 1500 pessoas”, disse o responsável da DGArtes que financia essa formação em áreas tão diversas desde a programação, passando pelo som, iluminação, formação artística e gestão cultural.
Este diálogo entre criadores e programadores é para continuar e gostaríamos “que tivesse mais dias”. Apesar de outras localidades também quererem receber o evento, o CCC revelou ter os espaços adequados para permitir vários encontros em simultâneo.
Mário Branquinho gostaria de assegurar a segunda reunião nas Caldas enquanto que o presidente da Câmara, Vitor Marques, sublinhou a importância de manter o diálogo entre criadores e programadores. “O CCC está sempre disponível para vos receber. Este é um espaço de todos”, afirmou o edil caldense no final desta iniciativa que contava com a vinda do ministro da Cultura. Pedro Adão e Silva acabou por cancelar a vinda às Caldas. Para o diretor da DGArtes é muito claro que o segundo encontro terá mesmo que se realizar com pelo menos dois dias permitindo assim mais espaço para convívio e para os encontros informais , que são igualmente importantes. Entre quem se reuniu no CCC esta foi a oportunidade de se encontrar presencialmente e ligar rostos a nomes pois há gente dos dois mundos – da criação e da programação – que contacta há vários anos sem se conhecerem pessoalmente, sem ser através do telefone ou de um ecrã. ■