Concerto da Sipo no Malhoa uniu-se ao CCC

0
31

Luís Meireles e Maria José Souza Guedes trouxeram música clássica ao museu do pintor

Sonatas de Bach, Reinecke e de Brahms fizeram-se ouvir, a 14 de janeiro, no Museu Malhoa. Esta foi a terceira atuação do Ciclo de Concertos comentados do Festival Internacional de Piano do Oeste. Atuou, na Sala Malhoa, o Duo M. José Sousa Guedes (piano) e Luís Meireles (flauta) nesta que foi também a primeira iniciativa do “CCC fora de Portas” e que contou com plateia cheia.
Os dois músicos deram a conhecer ao público vários detalhes sobre os temas e sobre os compositores das sonatas que interpretaram e que viveram no período romântico, no século XIX. Segundo o flautista Luís Meireles, a Sala Malhoa possui uma boa acústica sobretudo “quando está cheia de público!”. O músico, assim como a pianista, é professor no Conservatório de Música do Porto. Ambos têm uma carreira internacional e vieram às Caldas para interpretar sonatas de compositores do período romântico e que atravessaram o século XIX.
Manuel Gouveia, a organizadora deste Ciclo e é também a responsável pela Semana Internacional do Piano de Óbidos (SIPO) que se realiza há 27 anos naquela vila.
O próximo evento deste Ciclo de Concertos comentados decorrerá, a 4 de fevereiro, no Museu Leopoldo de Almeida, no Centro de Artes.
“Começámos o ciclo em novembro passado e vamos realizar um concerto por mês durante todo o ano. Até já começámos a programar para 2024!”, disse a pianista acrescentando que esta iniciativa pretende “apostar na comunicação mais próxima e direta com o público e na regularidade dos concertos, destinados a habituar as pessoas a ouvir boa música”. Seguem-se ainda atuações também no Bombarral e na Nazaré e a ideia é que estass se possam estender por toda a região Oeste.
Segundo Mário Branquinho, diretor do Centro Cultural, este foi o primeiro evento “CCC fora de portas” de muitas outras atuações “que vão ter lugar em museus, praças e ruas”. E com casa cheia “foi a melhor forma de começarmos a iniciativa”, rematou o responsável.
A diretora dos museus de José Malhoa, da Cerâmica e da Nazaré, Nicole Costa também considera que é essencial o trabalho em rede e feito em parceria. “
Temos feito um ótimo trabalho na aproximação e conquista de públicos que é uma missão de todos”, rematou a responsável pelos três museus oestinos. No final de janeiro irá decorrer no Museu de Cerâmica a finissage da exposição do curso do Cencal. No Museu Malhoa decorrerá também o encerramento da instalação “O Armário”. ■