Coros das Caldas fizeram lotar Sala do Museu de José Malhoa

0
354
O Coral das Caldas está a preparar atuações para celebrar os 50 anos de Abril

Quatro coros da cidade mostraram que a música coral das Caldas “está viva e recomenda-se”

O concerto de Reis, no Museu Malhoa, decorreu a 6 de janeiro e teve que aguardar um pouco para começar. É que eram tantas as pessoas que queriam assistir à atuação que foi necessário ir buscar cadeiras extra para colocar na Sala Malhoa. Primeiro veio o Coro Infantil do Conservatório que é composto por coralistas com idades entre os seis e os nove anos. Sob a direção da professora Márcia Santos, os elementos mais novos deste concerto apresentaram as canções “Quero ser um Rei” do livro Histórias de Cantar de Margarida Fonseca Santos e ainda “As sete Notas” onde os petizes provaram que conhecem bem as notas musicais.
Segundo Sara Pedreira, diretora pedagógica do conservatório das Caldas, os grupos vão atuar nas suas audições no CCC e, já no dia 12 de janeiro, às 19h00, farão parte de uma iniciativa organizada pelo Agrupamento de Escolas Raul Proença e que envolve o ensino articulado.
De seguida, deu-se a estreia pública do Coro de Câmara do Conservatório que ressurgiu como atividade extracurricular em novembro de 2023.
Sob direção da professora Fátima Cotrim, o grupo cantou “Changes”, da compositora norte-americana Audrey Snyder e que fala sobre os muitos problemas que assolam o mundo. Seguiu-se ainda” Carol of Bells”, um tema de Natal ucraniano e “Siya Hamba” uma canção tradicional sul- africana.
“Vi que existia um grupo de alunos interessado e começámos a ensaiar em meados de novembro”, disse a maestrina Fátima Cotrim. Com apenas seis ensaios já se conseguiram apresentar em público pois. “Como todos leem música, foi fácil avançar”, referiu a responsável. Trata-se de um grupo coral vocacionado para alunos atuais e antigos estudantes também. Os coralistas do Coro de Câmara têm idades entre os 13 e os 17 anos.

Orfeão caldense assinala 90 anos
O terceiro grupo foi o Orfeão Caldense, que este ano vai assinalar o seu 90º aniversário.
Para os Reis, o grupo entoou as canções “Cantar as Janeiras”, uma canção tradicional da Alta Estremadura, “Ó da Casa cavalheira”, do Douro Litoral, “Natal de Elvas”, Menino Jesus (do Alentejo) e “Em noite tão fria”, tema do Fundão.
Segundo a maestrina Ruth Horta o coro está já a trabalhar na programação comemorativa que decorrerá ao longo de 2024.
Além do aniversário vão ainda preparar a celebração do 25 de Abril, um encontro de coros no final do ano letivo e a celebração do Dia Mundial da Música.
“Temos alguns novos elementos e estamos abertos a quem quiser aprender a cantar”, disse a maestrina, acrescentando que os ensaios decorrem às quartas-feiras às 20h30, na Biblioteca Municipal. Aceitam-se para cantar pessoas de todas as idades
O concerto foi encerrado pelo Coral das Caldas, grupo criado em 1992. Sob a direção de António Joaquim Silva, o coro interpretou “Deck of the Hall, uma canção do País de Gales. Seguiu-se “Relvinha que o vento gelou”, um tema tradicional português e “Mai Fali Eh” de Timor Leste. Foi seguido de “Para os braços da minha mãe” de Pedro Abrunhosa e “Batuque natalino do menino só” de Ana Yara Campos. Alguns temas foram acompanhados à viola por José Carlos Flores.
Segundo o maestro, o grupo de 25 elementos pretende dar destaque aos 50 anos do 25 de Abril, pois “gostaríamos de atuar ao longo de todo o mês pelo concelho”.
O Coral das Caldas também tem as inscrições abertas para quem quiser juntar-se ao coro e os ensaios decorrem às terças-feiras, às 21h00, no auditório da Secundária Rafael Bordalo Pinheiro.
O concerto de reis é uma iniciativa da Liga de Amigos do Museu José Malhoa, presidida por Artur Fernandes desde 2022. Este concerto é já uma tradição e, para breve, prevê-se uma nova atuação organizada por este grupo. ■