“As crianças e adolescentes de hoje revelam grande interesse pela inovação e criatividade”, diz o psiquiatra Daniel Sampaio

0
493
Autor
O autor defendeu que os pais de hoje revelam mais preocupações com os seus filhos

“Memórias do Futuro – Narrativa de uma família” é o título do último livro do psicólogo Daniel Sampaio que foi apresentado nas Caldas, a 27 de Outubro, num café-literário da Livraria  107 e do CCC.
A sala do café-concerto encheu-se de gente para conhecer melhor esta obra onde o protagonista do livro com 78 anos se confronta com o casamento do neto, oportunidade para rever a sua vida e as suas memórias. Segundo esse protagonista deve-se ao seu neto Afonso a primeira vez que se sentiu velho, tinha então 60 anos.

Nesta obra é contada a história de uma família, começando pela pessoa mais velha, o avô. Durante a apresentação Daniel Sampaio salientou “que a linha da continuidade da vida ao longo dos tempos existe com interrupções maiores ou menores” e referiu que estas “Memorias do Futuro”  se centram na vida de um casal, nas dificuldades que sente nas várias fases e “na grande necessidade de reflectir para bem do próprio casal e para os filhos”, disse.
É a primeira vez que o autor, professor catedrático de Psiquiatria, experimenta a ficção e por isso teve entre os seus leitores reacções diversas. Uns “deixaram-se tocar por ser um livro intimista, alguns até se emocionaram” ao passo que outros “tiveram uma atitude mais distante pois estavam à espera de um livro mais técnico e de ajuda aos pais, tal como é mais habitual”, comentou no final da sessão onde várias pessoas aproveitaram a ocasião para o questionar sobre vários temas.
As novas famílias – monoparentais ou reconstruídas após divórcios – o quotidiano escolar ou as novas formas de comunicar através das redes socais e que podem unir as diferentes gerações foram algumas temáticas debatidas naquele serão.
Nesta época de grandes mudanças o psiquiatra tem notado que as crianças e adolescentes têm revelado grande talento para a inovação e descoberta. Além da grande capacidade de progresso que nota em muitos dos seus pacientes vê que também os pais “estão muito melhores”. Significa que os progenitores estão mais atentos aos filhos e mesmo os que têm problemas comportamentais “noto que há uma preocupação acrescida”. Referia-se por exemplo à unidade para jovens em risco – que funciona no Hospital de Sta. Maria – e tem visto como os parentes procuram em conjunto com os jovens achar caminhos para os reencontros.
O autor de Ninguém Morre Sozinho, Inventem-se Novos Pais ou Vagabundos de Nós celebra 20 anos de carreira de autor no próximo ano e prometeu regressar às Caldas daqui a dois anos, altura em que pensa lançar uma nova obra.
Isabel Castanheira, a livreira promotora do encontro sublinhou a importância de unir autores e leitores em especial numa época de grande crise como aquela que actualmente se vive.