Crianças pintaram um mural na Mata Encantada

0
761
Gazeta das Caldas
Bruno Prates acompanhado de alguns dos participantes durante a apresentação do mural | F.F.

Várias personagens idealizadas por 25 crianças, e que habitam a “A Mata Encantada”, dão-se a conhecer num mural de arte pública feito no muro da Mata. A actividade da Academia do Bruno, dinamizada durante o mês de Julho, incluiu ainda uma intervenção num PT (posto de transformação) desactivado e agora povoado por personagens da Rota Bordaliana.

 

Quem passar pela Rua Diário de Notícias, ao chegar à Mata Rainha D. Leonor, já não vê um muro branco e descaracterizado. A parede é agora o “rosto” da Mata Encantada, um projecto de arte pública da Academia de Desenhos do Bruno, que contemplou ainda uma intervenção num PT desactivado, nas imediações, e que agora está ilustrado com as figura do Zé Povinho, do Polícia, do Gato Assanhado e outros personagens da Rota Bordaliana.
O projecto foi desenvolvido em Julho por 25 crianças, dos seis aos 17 anos, acompanhados pelo ilustrador Bruno Prates.
Durante a apresentação, que decorreu no passado dia 28 de Julho, o também professor de desenho na Academia do Bruno, explicou que não se tratou de uma Actividade de Tempos Livres (ATL), mas sim de um trabalho muito específico de desenho e pintura. No âmbito do projecto, visitaram alguns artistas das Caldas como a Liliana Alves (joalharia), Rui Cruz (magia), o atelier de Umbelina Barros (ceramista) e os museus da Cerâmica e de José Malhoa.

“Tudo teve um fio condutor, desde o primeiro ao último dia”, explicou Bruno Prates, que escolheu aquela parede para desenhar (entre as três propostas oferecidas pela União de Freguesias) por se tratar de um local com muita visibilidade e de valorização do espaço. Além disso, a “fama” que a Mata Rainha D. Leonor granjeou com a participação do Caldas Sport Clube na Taça de Portugal, levou-o a pegar no tema “Mata Encantada”.
Depois de terem visitado a mata (alguns dos meninos pela primeira vez) e o campo de futebol, os participantes desenharam personagens relacionadas com o bosque encantado. Há rainhas, estrelas, fadas, morcegos, unicórnios, dragões e um gigante, cujo desenho do corpo não cabe no muro, e que é uma metáfora ao Caldas Sport Clube, explicou o professor.

AUTARCA QUER MAIS ARTE PÚBLICA

 

Esta actividade contou com o apoio logístico do Sporting Clube das Caldas e da União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e S. Gregório que custeou as tintas utilizadas, no valor de 400 euros. O presidente daquela união de freguesias, Vitor Marques, lembrou que há vários anos que tenta que artistas façam arte pública na sua freguesia, mas que não tem sido bem sucedido.
“Felizmente, com o Bruno Prates conseguiu-se este magnifico trabalho, as mensagens são fantásticas”, disse o autarca que continua a desenvolver contactos para possíveis intervenções como, por exemplo, na parede de um prédio junto à estação de comboios.
Vítor Marques está também em conversações com um estudante da ESAD para intervir em dois espaços públicos em S. Gregório, junto a um parque infantil e numa parede de uma rampa.
Recentemente, no Caldas Late Night, alguns jovens estudantes pintaram um mural no telheiro do Parque D. Carlos I.