Estúdio caldense faz mural de 24 metros em festival austríaco

0
624

O estúdio caldense HALFSTUDIO participou no festival Calle Libre, em Viena, na Áustria, executando um mural com 24 metros de altura que, agora, decora a fachada de um prédio com oito andares dentro da cidade, numa zona residencial. “É o maior mural que existe em Viena”, garante à Gazeta das Caldas Emanuel Barreira, um dos responsáveis deste estúdio.

Com a mulher, Mariana Branco, os dois artistas visuais dedicam-se a projetos criativos, tendo o lettering como elemento principal. O estúdio foi convidado a participar neste festival de arte urbana, que contou com uma série de artistas internacionais. Estiveram presentes artistas de várias nacionalidades, dado que no ano passado o festival contou com apenas austríacos. Com a reabertura das fronteiras, a organização apostou em convites internacionais. Além dos portugueses, participaram autores de Marrocos, México e da Ucrânia.

Segundo Emanuel Barreira a mensagem “Rise Up” que os HALFSTUDIO deixaram patente no seu grande mural, enquadra-se no tema deste festival e que foi “Represent”. O objetivo é chamar a atenção para a necessidade de representar as minorias na sociedade.

“Também se pretendia refletir sobre de que  forma é que o colonialismo contribuiu para a opressão das chamadas minorias, além de se querer debater assuntos relacionados com o aumento do racismo e da xenofobia”, salienta.

A peça dos HALFSTUDIO vem no sentido de “nós próprios fazermos parte ativa nesta mudança social que é necessária e, no fundo, para cada um de nós poder ser uma parte ativa nessa ação”, frisa o artista visual.

Emanuel Barreira está satisfeito por poder retomar a participação dos HALFSTUDIO em festivais internacionais, algo que a covid-19 impediu nos últimos tempos.

Os dois autores, que têm um trabalho na fachada dos Silos, ficaram agradados por terem a oportunidade de realizar um trabalho com 24 metros de altura e que é também  o maior que realizaram até agora. “O maior que tinhamos feito foi num prédio de sete andares que realizámos em Lisboa”, relembra o autor.

O prédio que pintaram em Viena pertence a um bairro de habitação, com rendas controladas pelo Estado. Segundo o autor, qualquer pessoa, mesmo sem problemas financeiros, pode concorrer a habitar estas casas, ficando assim com uma renda abaixo do mercado, em nome de uma vida mais estável.

“O prédio que pintámos fica assim com o maior mural pintado da cidade de Viena, o que nos deu muito gozo!”, contou.

A linguagem visual dos HALFSTUDIO é caraterizada pela utilização de letras volumétricas e layouts dinâmicos que, por norma, apostam nas mensagens impactantes.

Os dois artistas visuais usam na sua forma de expressão cores vibrantes. Além do mais, gostam de escrever mensagens inspiradas nos temas dos festivais ou que façam sentido para a comunidade onde a obra se insere.

Este duo tem apresentado o seu trabalho em exposições e em festivais de arte urbana em Portugal e noutros países do mundo.

Entre os mais recentes murais que têm realizado conta-se um trabalho integrado  no festival Fabric Arts Festival, na cidade de Fall River, no estado de Massachusetts​, nos EUA.

Emanuel Barreira e Mariana Branco são também autores da instalação de arte imersiva 2Light Lab, feita no centro comercial “La Maquinista” e integrado no festival de arte urbana de Barcelona, “Urban Walls”. O próximo festival onde vão participar decorrerá no início de setembro, em Roterdão (Holanda).