Foz tem um novo Centro de Artes

0
473
Teresa Leal e José Cardoso, responsável e artista do Centro de Artes da vila | Natacha Narciso

Abriu na Foz do Arelho um espaço onde se conjugam as artes e o antiquário. Fica na Rua Principal e vai promover exposições mensais e workshops

A Foz do Arelho tem um novo espaço, na rua principal da vila, dedicado às artes. Situado em frente à Caixa Agrícola, o espaço onde antes funcionava um antiquário e uma imobiliária transformou-se num Centro de Artes, pois acolhe uma galeria de arte, mantendo uma área de antiquário.
A curadoria das exposições é de Teresa Leal, responsável pela marca de turismo “Teresa Vai de Férias”, também sediada naquela área. Segundo a coordenadora, além das exposições – que já estão previstas até junho – vão também decorrer workshops de artes.
Teresa Leal ainda gostaria de aliar as provas de vinho e de gastronomia.
Em relação ao antiquário – cujo proprietário é José Marques Pereira, que possui loja congénere em Lisboa – estão presentes para venda sobretudo pinturas e livros antigos.
A primeira exposição deste novo espaço é de José Cardoso, artista que vive na Foz do Arelho. Arquiteto de formação, o pintor, de 75 anos, já vinha para a vila em miúdo, dado que foi aluno do Colégio Moderno, entidade que tinha a colónia de férias na Foz. José Cardoso, que teve barcos na Lagoa e na marina de Peniche, decidiu regressar e viver em permanência na localidade caldense onde chegou a ter casa de família e para vinha aos fins de semana.
Presentes na mostra deste autor estão várias pinturas a acrílico, aguarelas, assim como desenhos de temas diversos. “A minha pintura é muito gráfica e influenciada pela arquitetura”, disse o artista à Gazeta das Caldas, confirmando que a pop art também influencia alguns dos seus trabalhos.
José Cardoso dedica-se a criar séries sobre a música jazz, a tourada, os cavalos e os cães. Marcam presença na exposição, ainda, alguns nus e pinturas dedicadas ao erotismo. “A vida é a cores e por isso gosto de as usar”, disse o artista, que, além do seu trabalho artístico, também responde a encomendas, produzindo desenhos a carvão, a aguarela e a acrílico.
Ao longo da carreira, José Cardoso fez várias exposições e obteve prémios, tendo criado vários selos para os CTT. Um dos que lhe deu particular gosto foi o que assinalou um dos primeiros aniversários do 25 de Abril.
O artista gosta de viver na região e tem exposto também nas Caldas da Rainha. Quer, agora, voltar a pintar a aguarela motivos variados da vila e da cidade. Sobre o novo espaço na Foz, considerou-o “muito interessante e pode trazer algum dinamismo para a vila”, disse o artista que também coordena workshops de desenho e de pintura.