Governo quer juntar os museus caldenses numa só rede

0
483

1-secretariomuseuO secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, esteve nas Caldas a 19 de Julho para visitar o Simpósio de Escultura em Pedra, o Museu Leopoldo de Almeida (que abre até ao final do ano) e participar na reabertura do Atelier-Museu António Duarte, alvo de obras de remodelação. O governante afirmou que o Estado tem toda a disponibilidade de estudar “a ligação em rede entre os museus do Estado e os municipais”.

“Faz todo o sentido haver articulações entre os museus tutelados pelo Estado e os municipais”, disse o secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier após a visita ao Centro de Artes. O governante considera que “há uma proximidade geográfica e parâmetros de cultura integráveis numa mesma leitura” aludindo ao facto de os museus caldenses estarem todos na mesma zona e poderem funcionar em rede.
O secretário de Estado da Cultura salientou que vão sair em breve os regulamentos sobre os fundos estruturais do novo quadro comunitário  para 2014-2020 e nessa altura serão vistas novas oportunidades para fazer essa ligação em rede.
Segundo o presidente da Câmara, Tinta Ferreira, “a cultura é um elemento decisivo da nossa marca identitária”. O edil referiu artistas locais como os escultores António Duarte e João Fragoso e frisou o importante papel da ESAD, escola “que atrai alunos de todo o país”, disse.
O autarca referiu ao governante que possui nas Caldas “um conjunto de elementos que contribuem para esta dinâmica cultural, e este Simpósio que se realiza há 28 anos, é um bom exemplo”. O Simpósio de Escultura em Pedra das Caldas não é o mais antigo do país mas é o mais antigo que se  mantém em actividade desde finais dos anos 80. O presidente da Câmara disse ainda que quer que a cultura nas Caldas seja um motivo de atracção turística. “Pode contar com as Caldas como um dos concelhos mais empenhados em desenvolver a cultura e as artes”, afirmou Tinta Ferreira acrescentando que o sector cultural “é uma das apostas das Caldas e que nos diferencia  no contexto nacional”.
“Museu de Leopoldo de Almeida abre até ao fim do ano”
Jorge Barreto Xavier começou a sua visita pelo Museu Barata Feio. Atento às explicações de José Antunes, director do Centro de Artes, a comitiva dirigiu-se em seguida ao edifício que vai acolher o Museu Leopoldo de Almeida, tendo os visitantes ficado com uma ideia sobre como vai ser aquele novo espaço museológico dedicado à obra daquele escultor. O governante ficou a saber pelo presidente da Câmara, Tinta Ferreira “que falta apenas 20% da construção da obra” e que esta infra-estrutura “deverá abrir ao público até ao final do ano”. Este museu, que tem sofrido atrasos na construção devido a dificuldades financeiras, tem um orçamento a rondar os 680 mil euros e conta com o apoio de fundos comunitários. Em seguida, Barreto Xavier presidiu à reabertura do Atelier-Museu António Duarte, percorreu todas as salas com as obras do escultor caldense, assim como da sua colecção de arte sacra. Na sala de exposições temporárias, o governante visitou a exposição que integra os 123 projectos que concorreram ao Simpósio de 2014, dos quais foram escolhidos apenas seis autores.
O Atelier-Museu António Duarte estava encerrado desde Janeiro de 2013, altura em que um temporal arrasou com a cobertura do edifício. O espaço foi alvo de remodelações no valor de 20 mil euros e abriu agora com um novo discurso expositivo e museológico.
Segundo Tinta Ferreira, com o renovar deste museu, com a conclusão do Leopoldo de Almeida e “com o reforço da equipa de recursos humanos”, há agora condições para “dar uma vivencia maior ao Centro de Artes”.
Barreto Xavier mostrou-se muito satisfeito com o que viu no Centro de Artes e com o facto da cultura ser uma das “referências para o desenvolvimento do território caldense”. Mostrou-se também disponível para trabalhar em conjunto com o município nas futuras articulações, sobretudo na área dos museus.

Natacha Narciso
nnarciso@gazetadascaldas.pt