Mário Leitão expõe quadros sobre música no Cadaval

0
686

Está patente até 30 de Março, na Biblioteca Municipal do Cadaval, uma exposição de pintura de Mário Leitão que homenageia compositores musicais nacionais e estrangeiros.
Na inauguração da exposição, a 10 de Março, o pintor explicou que na composição musical a expressão “Ad Libitum” quer dizer “à vontade” ou “conforme o intérprete quiser”.
A exposição assenta “nesse sentimento de liberdade total para pintar o que quero”. Já a designação “Opus 22” tem a ver com o facto de esta ser a sua vigésima segunda exposição individual.
De acordo com Mário Leitão, a música tem sido a verdadeira pedra de toque do seu trabalho, em que “o nome de cada quadro é sempre o nome de uma obra de um compositor”.
Tecnicamente, o Cubismo foi o caminho artístico por que enveredou, sendo as suas obras executadas a óleo sobre tela, com veladuras, utilizando sete camadas de tinta.
A exposição pode ser visitada à segunda-feira, das 14h00 às 18h00, de terça a sexta-feira, das 9h00 às 18h00, e ao sábado, das 9h00 às 13h00.
Mário Alberto Leitão Silva nasceu em Angola e reside actualmente em Almada. Licenciado em Engenharia Electrotécnica, exerceu funções na Câmara Municipal de Palmela, de onde se reformou recentemente, tendo sempre pintado como hobby.
Os seus quadros estão representados em diversas exposições colectivas e individuais de pintura, em Portugal e Espanha.
Para além de vários prémios, do seu currículo faz parte também a ilustração do livro de poesia “Ovadjilongo”, de Jorge Arrimar.

P.A.