Morreu Cobus Ferreira, o autor de “Viva os Boers!”

0
771
Gazeta das Caldas
O professor sul-africano era um apaixonado por Portugal. A ele se deve a maior investigação sobre os refugiados boers nas Caldas da Rainha. |D.R.

Morreu a 12 de Setembro na África do Sul o investigador Cobus Ferreira, que escreveu várias publicações sobre a vida dos refugiados boers em Portugal e nas Caldas da Rainha.
O mais conhecido dos seus livros foi “Viva os Boers” – a que Gazeta das Caldas deu particular destaque na sua edição de 15 de Maio de 2015 – relata em pormenor como era a vida dos seus compatriotas que estiveram alojados no Hospital Termal e nos Pavlhões do Parque em 1901 e 1902 durante a guerra anglo-boer.

Na semana seguinte deu uma entrevista, por escrito, à Gazeta das Caldas onde se confessa um apaixonado por Portugal, que classifica de sua “segunda Pátria”. Ao longo da sua vida terá viajado da África do Sul para Portugal mais de 20 vezes para visitar amigos e fazer investigação. Além das Caldas da Rainha, também investigou em Peniche e Alcobaça, localidades onde os boers também estiveram alojados no início do séc. XX.
Em Outubro desse mesmo ano Cobus Ferreira foi recebido na Câmara das Caldas da Rainha pelo seu homónimo Tinta Ferreira com quem teve uma reunião de cortesia e cumprimentos.
Ockert Jacobus Ferreira foi investigador do Departamento de História da Universidade de Pretória. Era descendente de um português que no séc. XVIII sobreviveu a um naufrágio junto da cidade do Cabo, onde acabou por ficar a viver, tendo hoje uma numerosa descendência que conserva o seu apelido. Cobus, como gostava que lhe chamassem, morreu aos 78 anos.