Óbidos tem projecto para educar através das artes

0
508

FotoApresentacaoEDUUma plataforma que cria uma ligação directa entre várias artes com o objectivo de incentivar a criatividade entre as crianças e adolescentes. É desta forma que se apresenta o projecto EDU – educação pela arte, que funciona na Academia de Cerâmica de Thomas Schittek, integrado no Espaço Ó, à entrada da vila de Óbidos.
Cerca de 30 crianças que frequentam o jardim de infância e ATL do Centro Social e Paroquial do Bombarral criaram, em três dias, uma coluna de azulejos, fantoches, uma história e uma pintura. O resultado deste trabalho foi apresentado no passado dia 7 de Fevereiro na OCA (Óbidos Ceramics Academy), com a presença dos “protagonistas”, que interpretaram um teatro de fantoches e, no final, levaram a obra realizada para a sua escola.
Esta experiência marcou o arranque do projecto EDU – Educação pela Arte, que pretende fazer da oficina um ponto de encontro onde crianças, adolescentes e adultos podem praticar artes. Os trabalhos são realizados individualmente ou em grupo e existem à disposição dos interessados as modalidades de teatro, escrita, cerâmica, pintura, filosofia coaching educacional e sensibilização ambiental.
A área do teatro será desenvolvida por Inês Fouto. Esta educadora e actriz irá desenvolver o projecto Mala de Cenas, onde os participantes são convidados a executar fantoches, com vários materiais, assim como ilustrações para os cenários. Irá também desenvolver uma oficina de Clown, onde é explorado o lado cómico de cada participante, e uma outra de Arte em Movimento, que mistura dança, música, pintura e teatro.
Thomas Schittek irá trabalhar com os participantes a cerâmica, nomeadamente o desenho e a sua transferência para o azulejo, trabalho com vidrados, preparação da cosedura no forno e a montagem da peça final.
A pintura estará a cargo de Minela Reis, que irá mostrar como se utilizam as várias técnicas de pintura e workshops em cada uma delas, como é o caso do carvão, grafite, pastel seco, aguarela, acrílico e óleo. Já a parte da escrita será dinamizada por Cristina Nobre Soares, que irá ensinar a contar e escrever uma história, assim como realizar oficinas de leitura e poesia para crianças.
Todas as oficinas podem ser trabalhadas com os outros artistas e haverá ainda a participação de outros intervenientes do Espaço Ó para abordagem de outras temáticas.
As actividades decorrem ao sábado e também durante as férias escolares.
Lusmarina Schittek, que também integra o projecto, destaca que este abrange todas as idades, mas querem mesmo é “abraçar” as crianças. “A arte é uma questão cultural”, diz acrescentando que quanto “mais novas começarem a ter contacto com estas áreas, mais sensibilidade e conhecimentos terão no futuro”.
Esta responsável destacou ainda o facto dos artistas e educadores se conhecerem, assim como ao trabalho que cada um desenvolve e poderem fazer actividades em conjunto. “O trabalho aqui no Colab [espaço colaborativo de Óbidos] mostra que as actividades quando estão juntas e mais perto, combinam-se e são mais fortes”, disse à Gazeta das Caldas.

Fátima Ferreira
fferreira@gazetadascaldas.pt