Podcasts do Malta Cá da Zona estão a dar que falar e destacam quem vive nas Caldas

0
437
Roman e Dinis no sofá onde decorrem as entrevistas
Malta Cá da Zona dá nome a um podcast que dá a conhecer quem vive nesta região e se destaca em diferentes áreas
No podcast Malta Cá da Zona, o convidado ou convidada começa por cortar o cabelo. Terminado o corte, segue-se a entrevista no sofá da Dope Barber Shop,  situada na Praça 5 de Outubro, antiga praça do Peixe.
O anfitrião, José Dinis, mais conhecido apenas pelo sobrenome, é barbeiro mas interessa-se por  tudo que se passa à sua volta. Em especial pelo que acontece nas Caldas, desde pessoas que se destacam até à equipa de futebol da cidade. Tem 37 anos e vive nas Caldas há mais de 15 anos. Já trabalhou em várias áreas mas há uma década formou-se em barbearia e há oito que tem o seu espaço na Praça do Peixe.
Em 2017 já tinha tido a ideia de fazer podcasts com gente a região que dá cartas, seja no desporto, no gaming, no skate ou na música. E as entrevistas eram feitas enquanto cortava o cabelo aos entrevistados.
A ideia voltou recentemente e em força e sobretudo porque agora Dinis está a trabalhar em parceria com Roman Sklyaruk, conhecido como Roman SKL, e então o Malta Cá da Zona ganhou um novo ímpeto e está a dar que falar.
Ambos arregaçaram mangas e já lançaram cinco episódios, que têm 15 minutos e estão disponíveis no Instagram. Por agora os primeiros entrevistados foram a Nazar Stashko, campeão nacional e europeu de Muay Thai e K-1, o produtor e músico,Stereossauro; Duarte Correia, campeão Europeu Futsal Sub19, o tatuador de realismo, Demas e ainda o streamer e gamer Shiver. “Já temos também previstas entrevistas a mulheres”, garantiram os responsáveis que, para já, têm pensadas convidadas das  áreas da música e do desporto.
“Sou o Goucha cá da zona!”
Há um guião que é seguido pois tudo começa com o corte na barbearia, depois a entrevista no sofá onde Dinis deixa os seus convidados muito à vontade. Em Malta Cá da Zona, o podcast que é filmado há espaço para cumprimentos e para partilha de um pouco sobre a vida de cada um dos entrevistados. “Sou o Goucha cá da zona!”, disse Dinis que prima pelo seu grande à vontade nas gravações. Segue-se a despedida na zona onde são colocados os produtos de quem patrocina o programa.
Tudo pensado e feito com grande descontração e à vontade e com a oferta do corte de cabelo ao convidado. Soma-se ainda o facto de  “todos os instrumentais serem feitos por beatmakers caldenses”, acrescentaram.
Os podcasts são gravados aos fins de semana e são colocados on-line aos domingos.
Para Dinis e Roman “há muito talento nas Caldas e as pessoas já nos sugerem convidados” e, por isso, para já não pensam em limitar as temporadas.
Os dois mentores também se empenharam na busca de apoios e patrocínios, na criação do logotipo e na filmagem de um genérico bem catita que mostra o profissionalismo do realizador.
“Temos várias empresas locais que acreditaram no projeto e que nos estão a apoiar”, contaram os autores que pretendem também convidar os patrocinadores para “dar a conhecer os seus negócios”. E têm mais ideias como fazer eventos solidários. Com os apoios obtidos  têm conseguido comprar o material que é necessário à realização do Malta Cá da Zona e estão até à procura de um pequeno estúdio destinado às gravações. E até já fizeram um pedido ao Instagram para ver se conseguem obter mais tempo para os seus podcasts.
O realizador do projeto,Roman, tem 23 anos e, entre outros trabalhos, é responsável pelos  vídeos de bandas como os Wet Bed Gang. Faz ainda os “visuais” do grupo, das canções, vídeos dos novos temas e imagens das atuações da banda. Também fez o videoclipe de “Dona Maria” com a rapper Nenny,  filmado nas Caldas. Os seus vídeos têm milhares de visualizações. ■