Rede de Cultura fechou congresso no CCC

0
89
François Matarasso deu a conhecer em pormenor as iniciativas de arte comunitária | Natacha Narciso

No passado sábado, decorreu o encerramento do congresso “O futuro da nossa cidade”

O presidente do Conselho Estratégico da Rede Cultura 2027, João Serra, acredita que daqui a um ano haverá “uma candidatura consistente de Leiria a Capital Europeia da Cultura”. Na opinião do historiador, a rede que atualmente engloba 26 municípios “começa agora a adquirir uma forte identidade e a afirmar uma visão estratégica”.
Nesse sentido, o caldense considera que “a nossa proposta é “pensarmos – e agirmos – em conjunto, porque é nesse processo que confiamos”.
O congresso “O Futuro da Nossa Cidade” teve a sessão final repartida entre Leiria e Caldas e foi iniciado a 9 de maio, tendo integrado sessões públicas que decorreram dois dias por semana e adptadas às novas regras. Foram apresentados desenvolvimentos de projetos, performances e análises crítica de vários temas desde a Cidade, a Hospitalidade, a Criação, o Património e o Pensamento. Segundo o coordenador “a nossa responsabilidade perante esta geração é a de fazer deste território um espaço de acolhimento dos seus projetos, um espaço de respeito pela sua liberdade e de estímulo à sua criatividade”. No CCC, a sessão de encerramento teve vários momentos. Em palco estiveram cidadãos de várias idades que partilharam quais são os sonhos de desejos que pretendem para as suas cidades. A sessão nas Caldas ainda contou com a intervenção de François Matarasso que veio dar a conhecer o que são as iniciativas de arte participativa. Estas são normalmente feitas por artistas profissionais e não profissionais e “atualmente corre o risco de perder o seu carácter independente”.

A rede de 26 municípios começa agora a adquirir uma forte identidade e a afirmar uma visão estratégica

O especialista chamou a atenção para o facto de haver iniciativas que são organizadas por artistas ou entidades públicas, onde os participantes “executam apenas uma tarefa mas não têm responsabilidade nem poder de decisão”. Presente na sessão esteve também o escritor Gonçalo M. Tavares que fechou a peregrinação literária diária de cinco meses pelo território dos 26 municípios que juntos tecem a Rede Cultura 2027.
Fernando Tinta Ferreira, presidente da Câmara das Caldas da Rainha salientou a importância da rede, das ligações e partilha entre os municípios onde “cada um com as suas individualidades, contribui para que esta seja uma Rede de todos”, rematou o autarca. Na iniciativa do CCC ainda houve momentos musicais com músicos da Banda Comércio e Indústria. Após a sessão de encerramento, realizou-se um concerto com a Orquestra Sinfónica de Thomar.

Cidadãos de várias idades deram a conhecer os sonhos que têm para 2027 | DR
O escritor Gonçalo M. Tavares também fez parte da sessão de encerramento | DR