Retratos de João Marques para apreciar na Avenida

0
658
Ilustrador caldense mostra os desenhos das suas “Girls” numa exposição que se encontra no café-pastelaria Doce Pecado

Ilustrador revela retratos femininos inspirados em imagens ligadas à moda. João Marques expõe “Me and my Girls” no café pastelaria Doce Pecado

João Marques desenha desde miúdo. Inclusivamente estudou Artes Visuais no secundário, antes de se ter formado em Teatro na ESAD.CR e em Lisboa. O caldense tem também um percurso ligado à moda, até porque divide oficina criativa Canto Of, nos Silos, com a sua companheira, Joana Jordão, que é designer de moda. Agora, o autor está a expor no café pastelaria Doce Pecado, na Avenida 1º de Maio, no centro das Caldas da Rainha, depois de já ter exposto na Momo, na Rua do Jardim, durante o mês de dezembro.
“Desenho desde que me lembro e, curiosamente, até estive dez anos parado”, contou à Gazeta o autor, de 28 anos, que durante o confinamento se obrigou a realizar um desenho por dia. E assim João Marques diz que foi a pandemia que lhe devolveu a necessária coragem para voltar a desenhar.
“Me and my Girls” é como se intitula esta mostra do ilustrador, patente desde o mês de janeiro no Doce Pecado e que se dedica ao retrato feminino.
Trata-se de uma exposição viva pois vou substituindo desenhos por outros novos”, disse João Marques que se inspira em fotografias de revistas de moda que lhe servem de base para depois dar a sua própria interpretação.
“Os meus desenhos procuram ter algo a dizer”, explicou o autor, que acrescenta que alguns “têm até uns toques grotescos e tons intensos”.
São, pois, raras as vezes que João Marques desenha de forma livre e espontânea pois prefere trabalhar fotografias que lhe chegam do mundo da moda.
A mostra “Me and my Girls” está desde janeiro no café-pastelaria Doce Pecado e, segundo o autor, é uma mostra viva, pois João Marques vai-lhe adicionando novos trabalhos que realiza. E considera mesmo que, afinal, o confinamento lhe trouxe algo de bom, pois provou a si mesmo que ainda era capaz de regressar com sucesso ao desenho.
Para criar os retratos, o caldense usa materiais como lápis de cor, marcadores, canetas de tinta da china para fazer o desenho base.
“Gosto dessa proximidade com o público da cafetaria pois há sempre alguém mais atento que vê um pouco mais além do próprio desenho”, explicou este autor satisfeito por poder divulgar o seu trabalho, no Doce Pecado, espaço “muito acolhedor” e que sai valorizado ao mostrar obras de arte no seu espaço. João Marques tem ainda, com Joana Jordão, a marca Yarden que se dedica à Slowly Fashion, pois dedica-se à criação de peças de roupa únicas e sustentáveis. ■