Stereossauro abriu programação do CCC em grande estilo

0
90
Numa sala vazia, Stereossauro tocou com três músicos da cidade (Dj Ride, Nuno Oliveira e Bruno Fiandeiro) para 400 pessoas

O caldense foi o escolhido para abrir o programa “O CCC está ON”, que pretende levar a cultura a casa das pessoas em tempo de pandemia

Na noite de sábado, 14 de março, o caldense Stereossauro apresentou o álbum Bairro da Ponte num concerto a partir do CCC, transmitido em live streaming para a casa das pessoas. Este foi o primeiro concerto do programa “O CCC está ON”, e teve cerca de 400 espetadores.
O dj fez-se acompanhar do amigo dj Ride, mas também de mais dois músicos caldenses: Nuno Oliveira na bateria e Bruno Fiandeiro no baixo. O grupo tocou os vários temas do álbum que une o fado e o hip-hop, como “Eu te pertenço”, “Vento”, “Duas Casas”, “Nunca pares” e “FFFFF” foram alguns exemplos, mas também “Flor de Maracujá” e “Depressa demais”. Houve ainda tempo para os “Verdes anos”, para o mais recente single do novo álbum (“A Noite”, com Carlão e Marisa Liz) e para a música que levaram ao mais recente campeonato do mundo (que os caldenses Beatbombers conquistaram).
Sempre animado, durante a atuação o dj caldense frisou o quão estranho era sentir o “silêncio” entre as músicas.

Cerca de 15 pessoas trabalharam nos bastidores durante o espetáculo para garantir que o concerto chegava a casa das pessoas

À Gazeta das Caldas e após a atuação, Stereossauro disse que esta foi “uma experiência diferente e ainda não é aquele sonho de tocar nas Caldas para o público, mas é um upgrade em relação à minha cozinha”, brincou, aludindo ao último concerto, online, no 15 de maio, também transmitido em live streaming, mas a partir de casa do artista. Desta vez, ao invés de apresentar um dj set, atuou com uma banda e com a projeção de vídeo.
“Não deixa de ser estranho, porque não vemos a reação das pessoas, não sabemos se há sorrisos do outro lado ou não, se as pessoas estão a dançar, mas é o possível e temos que estar agradecidos pelo convite”, fez notar.

O caldense apresentou o álbum “Bairro da Ponte”, que faz uma alusão ao bairro caldense onde cresceu, mas também à ponte entre o fado e o hip-hop

No último ano, Stereossauro deu apenas três concertos, o último há praticamente seis meses, em outubro. “Mesmo sem público, é muito importante para nós tocar e é muito importante que o primeiro concerto do ano seja nas Caldas”, referiu.
Esta atuação teve ainda outra particularidade, é que normalmente a filha do artista não pode assistir aos espetáculos do pai. “Os concertos são sempre tarde e longe de casa, mas hoje, como era mais cedo, apesar de não ter visto ao vivo, viu pelo computador”, explicou.
Entre as músicas, Stereossauro recordou que este disco é o resultado de três anos de trabalho e lembrou também as brincadeiras em casa com os discos de fado que tinha. “Bairro da Ponte”, o título do álbum, refere-se ao bairro caldense onde o artista cresceu, mas também à ponte entre o fado e o hip-hop que este trabalho consegue fazer. “É o nosso tributo ao fado”, resumiu.■