Teatro da Rainha assinalou Abril

0
252
Convidados partilharam memórias sobre os dias do teatro durante o PREC

Encenadores e atores recordaram momentos de teatro ligados à revolução e o PREC. Seguiu-se leitura encenada de Alberto Pimenta

 

A tarde de 27 de abril, na Sala Estúdio do Teatro da Rainha, foi dedicada ao colóquio “O Teatro Pós-Abril: Em Directo do PREC”. À conversa estiveram Fernando Mora Ramos, José Carlos Faria, José Peixoto e Luís Varela que partilharam com a plateia vários momentos relacionados com a própria história da companhia caldense, como era fazer teatro nas herdades alentejanas, no pós-revolução, e qual era a reação do público que assistia às representações.
Para muitos, era o primeiro contacto com a arte dramática e nalgumas situações quem assistia achava que “estava a ser feita justiça, como aconteceu com a peça “As Duas Caras do Patrão”, onde se invertiam os papéis de operário e patrão”, disse Fernando Mora Ramos, diretor do grupo de teatro caldense.
José Carlos Faria apresentou uma resenha sobre a própria história do grupo de teatro que teve o seu início na Casa da Cultura, em 1985. A atriz Teresa Gonçalves também partilhou as suas memórias de ter pertencido ao Teatro da Rainha, nas Caldas e também durante os anos que grupo esteve instalado em Évora.
Após a conversa seguiu-se uma leitura encenada de “Reality Show”, texto de Alberto Pimenta com Fábio Costa, Fernando Mora Ramos, José Carlos Faria, Nuno Migues Machado e Tiago Moreira.
O Teatro da Rainha vai estar em Évora, no Teatro Garcia de Resende, no dia 3 de maio, para apresentar a peça Antagonick de Anne Carson, às 15h00 (sessão para escolas) e às 21h30 para o público em geral. ■