The Lunar Souls têm novo single e videoclip foi filmado na Nazaré

0
247
O casal, que estudou música na Academia de Alcobaça, já tocou em vários bares da Nazaré, de Alcobaça e das Caldas

Miguel Carepa e Tatiana André formam o projeto musical que, em breve, dará a conhecer “Happy Valentine”, o primeiro álbum de originais deste duo que filmou o vídeo da canção na Praia do Norte

Os nazarenos Miguel Carepa e Tatiana André são as almas que dão vida ao duo The Lunar Souls. Ele tem 28 anos e é um virtuoso guitarrista. Ela tem 23 e um instrumento vocal de fazer inveja. Juntos, lançaram, no canal de YouTube, o tema original “Happy Valentine”, que assinalou também o Dia dos Namorados.
A canção foi composta, produzida e gravada num estúdio caseiro, que era o antigo quarto de Miguel Carepa e que foi transformado em espaço de trabalho musical.
O músico formou-se e trabalha na área do Design Multimédia, ao passo que Tatiana André prossegue estudos académicos na Universidade de Middlesex, em Londres. Ambos estudaram na Academia de Música de Alcobaça.
Tatiana André dedica-se ao jazz e salienta que o curso inclui cadeiras de teoria, de performance e também relacionadas com a produção e com o apurar do sentido crítico musical.
O duo também gravou o videoclip de “Happy Valentine”, imaginado pelo casal, mas sob coordenação da vocalista. Os dois nazarenos são, também, os protagonistas do vídeo, que inclui imagens filmadas na Praia do Norte.
Os The Lunar Souls – assim designados gostarem da lua – lançaram-se em 2017 como banda de covers. Tocar versões de outros permitiu-lhes manter contacto com vários estilos musicais. A sonoridade depressa agradou e os convites começaram a surgir para atuarem ao vivo. O casal acabou por dar a conhecer a forma de estar na música em vários bares e restaurantes de concelhos do Oeste.
O som que exibem tem influências do jazz e do soul. No entanto, Miguel e Tatiana consideram que o registo que os define é, sobretudo, o pop independente. Quando atuavam em bares tinham no seu repertório canções dos The Beatles, The Beach Boys, da incrível Nina Simone e também de Amy Winewhouse. Interpretavam os temas destes grupos que mais gostavam, aos quais também juntaram vários standards de jazz aos quais, dizem, procuravam dar um “toque pessoal”.
Nas Caldas, os The Lunar Souls já atuaram no bar Déjà Vu, assim como noutros espaços que apostam na música ao vivo e que se situam na região, bem como na Nazaré e Alcobaça, mas também deram concertos em Lisboa, Leiria, Coimbra e Setúbal.
Adquirida a experiência de dar voz e melodias aos temas de outros grupos, Miguel e Tatiana passaram, então, a focar-se num novo objetivo: criar composições originais. Como sabem tocar piano, regressaram a sonoridades que têm sido incluídas na composição dos originais. E as canções a estrear, dizem, resultam de uma jornada que começou em finais de 2019 e que a banda gostava de dar a conhecer ao público ainda este ano com o lançamento do álbum “Happy Valentine”.

Originais disponíveis on-line
No final de 2020, os The Lunar Souls já tinham desvendado algum trabalho original, pois aceitaram o convite dos Boxtape Audiovisual para gravar dois temas ao vivo em formato acústico para o projeto no YouTube, Son of a Box.
Os originais que integram aquele projeto são “Dream High Enough” e “Sunny Days (In my mind)”, temas que também serão lançados em formato de estúdio e que vão integrar, juntamente com “Happy Valentine”, o primeiro álbum de originais deste duo nazareno.
A dedicação à música do casal é grande e ambos contam que puxam “um pelo outro”. Ele afirma que ela o ensina a cantar; e em troca ele explica-lhe o básico em relação à guitarra. Ele é multi-instrumentista e ela, que é vocalista principal, também dá “uns toques” nalguns instrumentos.

Guitarrista e vocalista estão a compor e a gravar primeiro álbum de originais

A composição é partilhada e, para já, fazem-no na língua de Shakespeare, mas não fecham a hipótese de, no futuro, poderem criar novas canções na de Camões. “É algo que terá de sair naturalmente”, asseguram, acrescentando que o facto de terem vivido, durante meio ano, em Inglaterra acabou por ter influência na escolha da língua para as primeiras canções.
Na temporada que viveram no Reino Unido, ainda tiveram a oportunidade de dar a conhecer alguns dos temas, num registo de amor à música e à arte.
“Tocámos nas ruas e em bares que têm palco aberto”, recordam os The Lunar Souls, que se exibiram, ao ar livre, perto do museu Tate Modern, junto ao Tamisa, além da Universidade de Middlesex, onde Tatiana estuda.
“Foi algo de positivo, pois obtivemos boa recetividade de quem assistiu e ainda conseguimos alguns contactos internacionais”, recorda Miguel Carepa, que espera poder dar a conhecer os novos temas quando ambos regressarem à ilha britânica.
No total, o novo álbum conterá nove canções, que serão dadas a conhecer ao público durante este ano. Ao longo dos meses, os The Lunar Souls vão continuar a lançar singles com os respetivos videoclips, divulgando, deste modo, a música original que nasce junto ao mar.
Miguel Carepa e Tatiana André estão, ainda, a aproveitar o confinamento para estar em estúdio, dedicando-se a tempo inteiro à composição e gravação das suas canções. “Também vamos marcar presença nas plataformas digitais e streaming e, no pós-confinamento, queremos lançar o álbum em formato tradicional”, asseveram. O trabalho dos The Lunar Souls pode ser acompanhado nas redes Instagram, Facebook e Youtube ou pelo seu website (www.thelunarsouls.com). Está feito o convite, certamente não se arrependerá. ■