A ADA é a referência do futsal caldense

0
372
A equipa sénior da AD Alvorninha defende as cores do clube na Divisão de Honra da AF Leiria

Clube tem 153 atletas em 10 equipas e quer chegar aos nacionais

A Associação Desportiva da Freguesia de Alvorninha foi fundada em 2010 e é hoje a principal referência do futsal no concelho das Caldas da Rainha. É o único clube com todos os escalões de formação até aos seniores, escalões onde está presenta nas duas competições do distrito, e já são vários os atletas que por lá passaram que têm papel de destaque no futsal nacional.
A fundação do clube remonta a 2010, mas as origens são anteriores. Para dinamizar o Centro de Desenvolvimento D. José Policarpo, a Junta de Freguesia de Alvorninha começou a organizar torneios intercoletividades de futsal, dos quais saiam também os representantes da freguesia para o Torneio Concelhio.
“O presidente da junta de então, o Virgílio Santos, lembrou-se que podíamos ter um clube a representar a freguesia. Ele é sócio fundador e sócio número 1”, conta David Santos, atual presidente e um dos membros fundadores.
Nas primeiras duas temporadas, o clube teve apenas equipa sénior, com um plantel quase todo saído desses torneios. Na temporada 2012/13, já com David Santos a render na presidência Filipe Vicente, foi criada a primeira equipa de formação, os benjamins. “A partir daí o projeto foi crescendo. Todos os anos fomos acrescentando escalões, o último foi este ano, com os petizes”, realça David Santos.
O clube só não tem uma equipa feminina, mas chegou a tê-la e está nos planos voltar a ter, começando por uma equipa de formação.
David Santos não esconde que a evolução que o futsal da ADA teve em 14 anos ultrapassou tudo o que se pudesse imaginar na altura da fundação.
“Com o impulso da formação, as pessoas começaram a ver Alvorninha como uma solução. Nas Caldas havia formação a nível de futebol, mas no futsal não havia e fomos conseguindo captar atletas, não seria só pelas pessoas de Alvorninha que conseguiríamos chegar aos números que temos hoje, com 153 atletas”, realça. “Quem quer jogar futsal, procure-nos a e isso é bom, é sinal que estamos a trabalhar bem”, acrescenta David Santos.
Parte importante na evolução é a certificação como centro de formação, que o clube tem há quatro anos e sempre com três estrelas. “Este nível é bom para a associação, porque nos exige mais a nós, e dá muito mais condições aos atletas que nos representam”, afirma.
A evolução no clube não se cinge ao número de atletas. “Temos uma estrutura enorme a nível de diretores. Em cada escalão temos sempre 3 diretores, normalmente são pais de atletas que nós conseguimos puxar para nós, para fazer o trabalho de acompanhamento da equipa. É importante para os atletas e é importante para nós também, direção, porque nos liberta para outras situações”, diz o presidente da ADA.

Foi a certificação que ajudou o clube a perceber que era necessário reforçar os meios humanos para o patamar em que estava e para dar o passo seguinte. “A certificação termos pessoas qualificadas, como fisioterapeutas, um médico que nos acompanha. Neste momento nas 10 equipas, pelo menos, 11 treinadores, temos pessoas na área de nutrição e também, no aspeto social, uma pessoa que acompanha quando achamos que há ali uma situação que é necessária corrigir ao nível educativo”, enumera.
Tudo isto obriga a um esforço financeiro que é exigente. “Contamos com o apoio da nossa Junta de Freguesia e da Câmara com alguns subsídios, alguns patrocinadores e temos também o bar que nos ajuda um bocado. Mas não é fácil, temos de ter um bocadinho de jogo de cintura para fazer a tesouraria trabalhar”, refere David Santos.
Entretanto, o clube já extravasou a capacidade do seu pavilhão e, além de Alvorninha, tem alguns treinos nas Caldas da Rainha. “No ano passado já tivemos horários disponibilizados pela Câmara, o que nos permitiu dar um terceiro treino nos iniciados, juvenis e juniores”, aponta o dirigente, que afirma que os treinos nos pavilhões da cidade também abriram a porta à captação de mais atletas.
Ao nível dos resultados, a ADA tem todos os seus escalões a disputar as principais divisões distritais, na temporada passada já teve a equipa de iniciados a disputar a Taça Nacional, algo que já se está a repetir este ano. Além disso, o clube tem catapultado vários atletas para clubes de maior dimensão e para as divisões nacionais. O primeiro caso foi o de Beatriz Santos, filha de David Santos, que é atleta do Sporting. Duarte Correia, campeão europeu de Sub-19 pela seleção nacional, também saiu dos “estaleiros” do clube para os leões e atua na principal liga nacional, pelo Ferreira do Zêzere. Temos tido sempre jogadores nas seleções distritais e, este ano, saíram mais dois jogadores que estão a jogar o campeonato nacional do Sub-19, que é o Manuel Trindade e do Nuno Garcia, que também é meu filho”, realça. “É sempre um motivo de orgulho por nós, apesar de fazerem cá falta”, exclama.
Quanto aos objetivos futuros, estes passam por ter uma a disputar um campeonato nacional. “Penso que é importante para o concelho ter essa representação, ainda este fim de semana levámos o concelho até à Covilhã e, como diz o nosso presidente, a ADA às vezes perde, mas Alvorninha ganha sempre, está sempre representada, e isso é que é importante”, conclui. ■