Bairradinos impiedosos travam o melhor Caldas

0
337
O Caldas teve mais posse de bola e mais presença ofensiva, mas não conseguiu pontuar

Pelicanos vinham de uma série de quatro triunfos mas esbarraram na eficácia do Oliveira do Hospital

Continuam a não correr bem os encontros do Caldas com o Oliveira do Hospital esta temporada. O Caldas voltou a perder na visita aos bairradinos, com a equipa da casa a apresentar-se praticamente perfeita no aproveitamento dos seus lances de ataque.
O jogo começou dividido, mas depressa o Caldas sentiu a picada do impiedoso ataque do Oliveira do Hospital, que ao minuto 8 colocou, pela primeira vez, a equipa em vantagem. Tudo começou num roubo de bola na zona de meio campo, onde o Caldas procurava iniciar um ataque, a bola chega a Gabriel Chagas no corredor central, o médio avança com a bola, faz duas simulações que tiram Clemente do lance e remate, de muito longe, rasteiro e colocado para o primeiro golo.
O Caldas respondeu de imediato, beneficiando da capacidade de manter pressão ofensiva. Num ataque que deu lançamento lateral no enfiamento da área, a bola chega a Leandro Borges na cabeça da área, este vê André Perre solto à direita e colocou lá a bola para o ala direito cruzar a preceito para João Tarzan finalizar com um remate de primeira.
O golo empurrou o Caldas para um resto de primeira parte em que teve maior controlo sobre a posse de bola. Num bloco curto, o Caldas conseguia manter elevada a pressão sobre a equipa de Pedro Machado. A boa organização dos oliveirenses impedia que essa pressão do Caldas resultasse em sufoco, mas os pelicanos conseguiram em três ocasiões colocar-se em boa posição para visar a baliza, mas faltou a eficácia que o adversário revelaria.
De pé quente após o bis na jornada passada, Lucas Villela não conseguiu bater Kadú após boa assistência de Farinha, e na recarga errou o alvo. Depois foi Pepo a desperdiçar com um remate por cima um belo trabalho de João Tarzan na grande área. E a terminar o primeiro tempo foi Leandro Borges a rematar por cima após tabelar com Villela.
Já na segunda parte, foi Tarzan que não conseguiu dar melhor seguimento a um passe longo de Leandro, mesmo antes de Paulo Grilo dar vantagem à equipa da casa e Diogo Ribeiro após Zacarias interceptar um passe de Luís Marcelino. Três golos em três remates enquadrados… ■

Golo 99 aos 249 jogos de João Tarzan

O golo apontado por João Tarzan, o 10º na temporada, foi também o 99º tento na conta pessoal do avançado obidense ao serviço do Caldas. Ícone do clube na última década (cumpre a nona temporada de pelicano ao peito), João Tarzan tem cimentado o seu nome entre os mais concretizadores avançados da história do Caldas e está muito perto de se tornar um dos poucos que já superaram a fasquia da centena. Nesse “clube” restrito estão Pedro Alberto, com número oficioso de 102 golos, e Janita, que nas décadas de 1950 e 60 ultrapassou os 120 golos pelo Caldas. No próximo encontro, João Tarzan cumpre também o jogo 250 pelos pelicanos. ■

 

Momento do jogo

O segundo golo do Oliveira do Hospital. Os bairradinos vinham em transição, um caldense consegue travar o ataque, mas o árbitro considerou falta, sobrada rapidamente pela equipa da casa. Para ajudar, há um corte de Militão que esbarra em Luís Marcelino, devolvendo a bola aos avançados, passe atrasado para a zona de grande penalidade, onde surge o que parece ser um remate mal medido, mas que apanha Paulo Grilo ao segundo poste, solto, para fazer o 2-1. Pouco depois surge o terceiro e o jogo ficou resolvido… ■