45º Campeonatos Internacionais de Portugal

0
431

Telma Santos é a primeira portuguesa a ganhar

A edição 2010 dos Campeonatos Internacionais de Portugal, a 45.ª da prova, foi a primeira que teve um vencedor português. Telma Santos, depois de ter sido finalista vencida em 2009, foi a autora da proeza, deixando pelo caminho as duas primeiras cabeças de série. Em masculinos, o malaio Kenn Lim foi também autor de uma proeza, proveniente da qualificação fez todo o percurso até à final e ganhou. Este ano a grande novidade foi, porém, o local, a primeira grande competição realizada no Centro de Alto Rendimento, que recebeu aprovação dos atletas.
A madeirense Telma Santos foi a grande figura da prova. A mais cotada badmintista portuguesa fez uma prova quase sem mácula, perdendo apenas um set em toda a competição e justamente na final, contra a inglesa Helen Davies. Pelo caminho deixou a belga Lianne Tan, primeira cabeça de série, com duplo 21-7. “Foi a melhor vitória da minha vida”, disse no final. A final, contra a segunda cabeça de série, foi dura, uma hora e quatro minutos na partida mais longa de todo o quadro principal, “a Helen tem vindo a fazer grandes jogos e é muito difícil ganhar-lhe, é rápida e vai a todas, não desiste, por isso esta vitória tem um sabor especial”, comentou, aproveitando o Dia da Mãe para dedicar oferecer a vitória à progenitora.
Com a vitória, Telma espera subir um pouco a posição no ranking, tendo partido para os Internacionais de Portugal no lugar 85, os Jogos Olímpicos são agora o principal objectivo, com os olhos postos também “em chegar até ao fim do ano aos 50 primeiros, já não falta assim tanto”, sustentou.
A atleta atribui também mérito ao projecto da Federação, “tem ajudado bastante, o treinador é bastante bom e estas infra-estruturas são muito boas e também estão a ajudar”.
Finalista vencida, Helen Davies deu mérito à atleta portuguesa, “os volantes estavam tão lentos que era difícil colocar winners no chão, era preciso fazer jogada após jogada e com a tática da Telma de me levar de canto para canto eu ‘morri’”.
Se na prova feminina a presença portuguesa foi positiva – para além da vitória de Telma, Vânia Leça esteve nos quartos de final e Helena Pestana vendeu cara a derrota contra a número 5 do torneio, a espanhola Sandra Chirlaque -, na prova masculina apenas Pedro Martins conseguiu integrar o quadro principal e caiu na primeira ronda com alguma surpresa contra o japonês Riichi Takeshita. Pedro Martins venceu facilmente o primeiro set, mas acabou por perder os dois seguintes.
A competição masculina, em que os favoritos acabaram todos de forma permatura, foi ganha por Kenn Lim, que vindo das qualificações realizou uma verdadeira maratona de sete jogos e quatro horas e meia de jogo até chegar ao triunfo. Pelo caminho deixou o segundo cabeça de série, o espanhol Pablo Albian, e também o terceiro, o alemão Dieter Domke.
Nas duplas, ao contrário do ano passado os portugueses tiveram prestações discretas, ficando quase todas pelas primeiras rondas. Pares mistos, a primeira final do grande dia, foi ganha pelos favoritos, os croatas Zvonimir Durkinjak e Stasa Poznanovic; pares masculinos teve como vencedores os dinamarqueses Martin Kragh e Anders Rasmussen; e em pares femininos a vitória foi para as inglesas Alex Langley e Lauren Smith.

Mais informações na Gazeta das Caldas impressa