Casal Velho disputa acesso à primeira divisão

0
718
Notícia das Caldas
No final a equipa agradeceu o apoio dos adeptos. Equipa que ficou em primeiro lugar da Série D da II Divisão | I.V.

Pavilhão do Casal Velho
Árbitros: Sérgio Mendes e David Veríssimo (A.F. Castelo Branco); Cronometrista: Bruno Frias (A.F. Leiria)

CASAL VELHO 0
Xalinho, Tiago Costa, Luís Pedro, Flávio “C”, Careca, Marinho, Sobreiro, Cris, Oliveira, Joãozinho, Melo e Castelhano
Treinador: Xá

ADR MATA 1
Sílvio “C”, Nini, Afonso, Joel, Mica, Marcos, Ruizinho, Miguel, João Lopes, Fábio, Rui Pereira e Pité
Treinador: Tó Coelho

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Nini (38’)
Disciplina: Amarelo a Nini (31’), Careca (39’) e Tiago Costa (40’)
O Casal Velho perdeu em casa com o ADR Mata, num jogo em que os alcobacenses já nada tinham por decidir. O primeiro lugar, que assegura a participação na fase de subida à primeira liga, já estava conseguido com 40 pontos. Agora o Casal Velho vai jogar a fase sul na luta para chegar ao convívio com os grandes.
Na última jornada da série D o Mata, que podia subir alguns lugares na tabela, entrou ao ataque. O jogo nem sempre foi bem jogado, mas houve ocasiões nas duas balizas.
Os guarda-redes estiveram sempre melhor que os avançados e ao intervalo o nulo persistia.
No regresso depois do intervalo os da casa entraram melhor mas sem conseguir chegar ao golo. Com mais de três minutos por jogar e já com cinco faltas cometidas, os visitantes arriscaram o cinco para quatro com guarda-redes avançado.
Não marcaram à primeira, num lance perigoso, mas conseguiram o objectivo à segunda, num remate forte de Nini aos 38’. Depois geriram os acontecimentos até ao apito final.

“Vamos sonhar”

O treinador do Casal Velho, Artur Morais “Xá”, recordou à Gazeta das Caldas que desde que chegou ao clube o objectivo era estabilizar o Casal Velho na segunda divisão em três anos.
Na época anterior à chegada deste treinador, a equipa tinha conseguido manter-se na segunda divisão pela primeira vez. O ano passado, já com Xá, foi a segunda e, com o primeiro lugar nesta série, é conseguida a terceira.
“O primeiro objectivo para a época era a manutenção, atingindo os 30 pontos, mas com o compromisso de entrar sempre para ganhar”, referiu o treinador.
Notando que houve muitas lesões ao longo do campeonato, salientou a união do grupo. “São excepcionais porque são dedicados e ambiciosos”, disse.
Recordando o percurso, que considerou “em crescendo”, notou que a partir da oitava jornada o Casal Velho chegou ao primeiro lugar e não de lá mais saiu. “Criámos uma dinâmica de vitórias, fomos ganhando confiança, e vamos acreditando que podemos sempre fazer mais”, contou.
Aí teve de gerir a pressão de ser candidato. “Não fugimos a isso, mas não podíamos fugir ao que eram os nossos reais objectivos”.
A seis jornadas do fim os trinta pontos foram atingidos e as metas tiveram de ser reformuladas. “Sendo coerente com os objectivos do clube, passou a ser atingir a manutenção nesta primeira fase, ou seja, ser o primeiro da série ou um dos melhores segundos. Conseguimos ser primeiros e toda a gente está de parabéns”, afirmou.
Agora na fase de subida a filosofia continua a ser a mesma “encarar jogo a jogo, sempre para ganhar”. Esta fase vale uma entrada no convívio dos grandes, algo que “ainda está longe, mas vamos trabalhar muito, vamos sonhar e no final logo veremos”.

Olho Marinho ficou perto da fase de subida

As duas equipas da região que disputavam a série D, Casal Velho e Olho Marinho, partiam para a última jornada em situações distintas.
Os alcobacenses, já se sabe, tinham assegurado o primeiro lugar. Já os obidenses encontravam-se no terceiro posto, com os mesmos pontos que o segundo, Fátima. Acresce que com a vitória os do Olho Marinho iam mesmo ser um dos melhores segundos e as duas equipas do Oeste apuravam-se nesta série.
Os obidenses, que no último ano disputaram o acesso à primeira ficando em terceiro da zona Sul, até fizeram o seu trabalho, esmagando, em casa, o Núcleo do Sporting de Pombal (9-2), só que o Fátima não deslizou na recepção ao Mendiga (7-1) e tonrou-se o quinto melhor segundo lugar.