Chuva deixou mostra do desporto caldense a meio, mas objectivos foram cumpridos

0
512

O parque desportivo Domingos Del Rio, junto ao Pavilhão Rainha D. Leonor, foi palco para o Emmerge Fest, um festival dedicado ao desporto. A chuva de domingo obrigou a cancelar o evento, por motivos de segurança, mas no sábado a adesão foi bastante positiva e fez valer a pena a iniciativa.

Essa é a convicção de Tiago Sousa, que organizou o evento em conjunto com a Câmara das Caldas e a Associação para o Desenvolvimento da Juventude (ADJ). “Foi bastante positivo pela presença de associações, pela quantidade de pessoas envolvidas quer na mostra desportiva, quer de artesanato, pela animação e pelos food trucks, que permaneceram no local mesmo depois do evento”.
Num sábado de muito calor, a convidar à praia, o evento atraiu muitos jovens, quer praticantes das modalidades presentes no evento, quer não praticantes que puderam experimentar as diversas propostas.
O destaque da iniciativa vai para a inauguração de um campo de futebol de rua, basket 3×3 e hóquei, que foi enquadrado com a requalificação do edifício junto ao skate park. Ambos têm umas pinturas relacionadas uma com a outra, da autoria do caldense João Olivença, cujo objectivo é que se passe a olhar para aquele local como um parque desportivo “e não como o pavilhão e o skate park”, realça Tiago Sousa.
A nova infra-estrutura desportiva foi criada em parceria com a Federação Portuguesa de Basquetebol vai permitir a organização de um torneio, a 21 de Julho, integrado no circuito nacional basket 3×3, prova a 21 de Julho.
O novo campo assenta na necessidade de “valorizar a prática desportiva de rua”, diz Tiago Sousa, permitindo que jovens cujas famílias não têm possibilidade de suportar uma mensalidade num clube desportivo, possam praticar aquelas modalidades. “Proporcionar a prática desportiva para todos é um dos desígnios do IPDJ. Os dados apontam que 68% da população portuguesa não pratica actividade física e um dos motivos identificados é a falta de instalações desportivas”, aponta.
A lógica de fomento do desporto de rua foi alargada com demonstrações e competições skate, que tiveram 40 participantes.

ENVOLVER OS CLUBES

O Emmerge Fest foi trabalho de quatro meses para Tiago Sousa, com o qual pretendeu envolver os clubes. Tiago Sousa salienta que a aceitação e envolvimento dos clubes e associações foi grande. “O objectivo era mesmo dá-las a conhecer e às suas actividades. Por exemplo, muita gente não sabia que há ginástica para bebés nas Caldas e os Bombeiros puderam divulgar isso”.
Ao evento não faltou um cariz solidário. Houve uma recolha de fundos presencial – que rendeu 100 euros – e outra online que não estava ainda contabilizada ao fecho desta edição, a favor da AMI, o que foi uma forma de reconhecer o trabalho da médica caldense Inês Felizardo Lopes, na assistência à catástrofe humanitária provocada pelo ciclone Idai.
Foi também disponibilizada gratuitamente uma banca de artesanato ao CEERDL, onde a instituição pode mostrar e comercializar obras realizadas por pessoas com necessidades especiais. Houve ainda um grupo de cinco jovens adultos com deficiência a experimentar diversas modalidades. Tiago Sousa diz que esta é uma vertente que quer fortalecer na edição do próximo ano, com um espaço dedicado ao desporto adaptado em parceria com o Comité Paralímpico.
Tiago Sousa lamenta que a chuva tenha impedido que as associações cujas actividades estavam marcadas para domingo não pudessem tê-lo feito também, mas o piso molhado comprometia a segurança de algumas actividades, pelo que se tornou inevitável o cancelamento do segundo dia.