Ciclismo: Caldas Ecosprint E. Leclerc apresentou-se na casa do patrocinador

0
505
As equipas do Caldas Ecosprint E. Leclerc com o staff do clube

Equipa de cadetes tem ambição para a época de estrada e vai ter quatro saídas a Espanha

A Caldas Ecosprint E. Leclerc apresentou no passado sábado a equipa para a temporada de 2024, numa cerimónia que decorreu no supermercado caldense que patrocina a formação.
Na cerimónia desfilaram mais de 30 jovens ciclistas do clube que compõem a formação de escolas e também a equipa de estrada de cadetes, esta composta por 10 elementos.
“O E. Leclerc já estava connosco como patrocinador, este ano aceitou o desafio de ser patrocinador principal e vai acompanhar-nos no nome da equipa”, contou José Pedro Fernandes, treinador e diretor da equipa de onde saíram talentos como João Almeida, António Morgado e, mais recentemente, Dinis Martins.
José Pedro Fernandes diz que a modalidade tem beneficiado dos fenómenos João Almeida e António Morgado. “Temos estado a crescer bastante, sobretudo pelos resultados do João Almeida, que tem trazido muitos miúdos ao ciclismo, nas Caldas e não só, jovens de 14, 15, 16 anos que precisam de ter equipas para que possam experimentar a modalidade”, refere.
Na região, o clube tem procurado fazer esse trabalho. As equipas treinam três vezes por semana, às terças, quintas e sábados, e este ano reforçou a equipa com mais dois treinadores. Os jovens que querem experimentar a modalidade podem fazê-lo de forma livre com qualquer bicicleta. “Quando há interesse em seguir nos cadetes, tentamos arranjar-lhes algumas condições mínimas para eles começarem, nomeadamente bicicletas, para começarem sem grandes despesas”, refere o técnico. Este ano, o clube conseguiu uma parceria que vai permitir ter algumas bicicletas novas para este fim.
A equipa de cadetes é a principal montra do Caldas Ecosprint E. Leclerc. No ano passado, com Dinis Martins como figura de proa, a equipa caldense conseguiu andar nos 10 melhores das classificações de equipas e individuais. Este ano, José Pedro Fernandes acredita que é possível manter a bitola, ou melhorar. “Depende de muitos fatores, mas temos material para poder discutir as corridas. O objetivo serão as provas de dois e três dias”, realça. Este ano, além dos ciclistas que vêm da sua escola de formação, o clube conta com ciclistas que vêm de outras paragens que quiseram juntar-se ao conjunto caldense.
Além das provas do calendário nacional, a Ecosprint vai reforçar as saídas ao estrangeiro, com quatro provas em Espanha. “É importante para eles terem uma experiência do que é correr lá fora”, explica.
Nas escolinhas, a participação é o principal objetivo, mas o técnico acredita que ir aos pódios, sobretudo por equipas, é importante. “É algo que temos conseguido todos os anos e ajuda na motivação dos jovens, sem lhes colocar a pressão de terem que ganhar individualmente”, refere.
O ciclismo é uma modalidade dispendiosa e os apoios são sempre uma dificuldades para as equipas de formação. José Pedro Fernandes diz que a Ecosprint não é exceção. “Felizmente, temos o grande apoio do E. Leclerc e depois parece que temos muitos patrocinadores, mas são apoios pequenos, que são importantes, porque sem eles era impossível fazermos o que fazemos”, diz acrescentando que o apoio do município das Caldas não chega aos valores praticados noutros concelhos. “Aqui as regras e os critérios são diferentes, temos que nos adaptar”, aponta.
No ano passado, o clube realizou o primeiro Prémio João Almeida, em A-dos-Francos, prova que vai ter continuidade, mas numa nova data ainda por definir, devido às eleições europeias. ■