Diogo Morais e Angelina Voloshchuk foram os vencedores nas Caldas

0
325
Os vencedores e vencidos da prova, que decorreu no Parque D. Carlos I

Torneio contou com cerca de 60 participantes. Clube já começou a construir campos de padel

Entre os dias 15 e 19 de maio decorreu nos campos de ténis do Parque D. Carlos I mais uma edição do torneio das Festas da Cidade, uma prova que se realiza desde a década de 40 do século passado, ainda antes da fundação do Clube de Ténis das Caldas da Rainha (que data de 1955).
A edição deste ano contou com cerca de meia centena de participantes nos dois quadros (30 masculino e 20 no feminino). “Estávamos a contar com uma participação maior, mas houve um torneio em Corroios equiparado a este, com um prize money de cinco mil euros, que dividiu os jogadores e houve também um torneio internacional para juniores em Lousada, para onde foram muitas das nossas esperanças, mas mesmo assim o nível foi muito bom”, analisou Ramiro Martins, presidente do clube caldense. “Preferimos fazer torneios para os jogadores nacionais, temos que puxar por eles”, frisa.
No quadro masculino, Diogo Morais (do CIF Lisboa) venceu Diogo Alves na final, por 6-0/6-1.
Angelina Voloshchuk (AHEAD CT) foi a vencedora no quadro feminino, ao bater Thamyrys Araujo na final por 6-3/6-2, finalizando a prova sem perder nenhum set. A vencedora é russa, mas reside e treina em Alverca.
Pedro Libório foi, entre os caldenses, o que chegou mais longe na prova, sendo eliminado nos quartos de final.
O torneio das Festas da Cidade tem um prize pool de cinco mil euros, o que “é atrativo, porque é considerado, pela Federação, um torneio de nível A”, refere, esclarecendo que contaram com o apoio da Federação Portuguesa de Ténis, da Câmara das Caldas e dos patrocinadores.

Aposta no Padel
O Clube de Ténis das CAldas da Rainha está atualmente a construir os quatro campos de padel no complexo municipal de ténis, dois dos quais cobertos e iluminados.
Trata-se de uma obra que tem um orçamento estimado em cerca de meio milhão de euros e que contará com a comparticipação financeira da autarquia e também da Federação Portuguesa de Ténis.
Com a construção destes quatro campos de padel ficam com um total de 14 campos, seis de piso rápido de ténis, mais quatro campos de ténis no Parque D. Carlos I.
“Ficamos com um conjunto muito atrativo, porque são duas modalidades de raquetes”, nota Ramiro Martins, acrescentando que “esses campos são destinados à cidade, aos caldenses, que poderão usufruir desse espaço, é para isso que o estamos a construir”.
O clube tem atualmente 10 equipas a disputar os campeonatos regionais (sete já apuradas para os nacionais). São cerca de 100 atletas, nos diferentes escalões (dos sub12 aos veteranos). A estes juntam-se mais cerca de 150 atletas nas aprendizagens e lazer. O clube tem cinco treinadores, a trabalhar no complexo municipal, mas também três funcionários e, claro, a própria direção. “Envolve bastante trabalho e despesa, mas para nós é um prazer, trabalhamos para o desporto”, resume Ramiro Martins, salientando a importância da obra. “Acho que é bastante importante que se façam os campos de padel do clube, porque somos uma coletividade sem fins lucrativos”, explica, esclarecendo que pretendem “fazer preços acessíveis a toda a gente e que toda a gente possa praticar, seja ténis, seja padel. ■