Dos nervos à superação, o Caldas merecia mais pela segunda parte

0
60

Torreense pragmático foi feliz nos três golos mas ainda foi encostado por um Caldas com mais de metade do plantel em isolamento profilático

Não era assim que os cinco jogadores que tiveram estreia absoluta na equipa sénior do Caldas, nem os três que se estrearam esta época, quereriam envergar pela primeira vez a camisola alvinegra, num jogo que fica marcado pela polémica da sua realização, logo após o Caldas ter tomado conhecimento de dois casos de covid-19 no plantel, que atiraram para isolamento mais 12 jogadores, sete dos quais habituais titulares.
Com a equipa muito remendada, a intranquilidade jogou a favor de um Torreense que fez do pragmatismo a sua arma. Marcou numa carambola num canto e descansou com um autogolo. Não precisou de forçar, só teve que esperar pelas melhores ocasiões para acabar com uma presa que estava ferida, mas que renasceu na segunda parte.
Mesmo antes do terceiro golo – obra de arte de Zezinho num canto direto – já era um Caldas mais tranquilo que tentava marcar a presença no jogo. Só que a “sorte” que assistiu o Torreense, não assistiu o Caldas. Mauro Eustáquio (63’) fez tudo bem na área, até o passe para Marcos Santos, que só precisava de estar um passo à frente para emendar. O médio nazareno marcou mesmo, após bela jogada de Pedro Sousa e Gonças, dois dos seis jogadores da equipa B usados no jogo. E fuzilou a barra uns minutos depois, num lance que podia ter mudado o jogo.
Perdeu com brio o Caldas, mas há pelo menos mais um jogo para fazer nas mesmas condições…

“Batemo-nos muito bem, demos tudo, jogámos à bola e caímos de pé. Temos uma grande equipa e podem contar conosco até ao fim.”
Juvenal

“Fomos a jogo com muita dignidade. Perdemos o jogo nos esquemas táticos. Tivemos muita alma na segunda parte e se aquela bola na trave entra…”
José Vala

A Figura

M. Eustáquio (4) Esteve nas três grande oportunidades do Caldas na segunda parte. Marcou e colocou outra bola na barra.

Rui Oliveira (3) Quase evitou o primeiro com uma grande defesa. Foi surpreendido por Zezinho.
Juvenal (3) Parece ter sido tocado por Ragner no lace do 0-2. Esteve seguro e procurou o ataque.
Yordi (3) Voltou ao centro da defesa para uma exibição segura no controlo dos espaços e das sobras
Gaio (3) Na ausência de Militão assumiu-se como patrão da defesa, com vários cortes decisivos
Passuco (2) Infeliz. Participou nos dois primeiros golos e sentiu dificuldade nos tempos de entrada
Leandro Borges (3) Bem no papel de pivot defensivo, visou algumas vezes a baliza, mas sem sucesso
Simões (4) Pouco se sentiu a falta de ritmo. Comandou a equipa com mestria e mostrou que está pronto
Marcel (3) Teve dois remates que mereciam melhor sorte numa primeira parte de muito trabalho
Gaspar (3) Esforçado numa luta desigual com os centrais, jogou simples e ainda teve boa cabeçada
Júlio Sousa (3) Muito certinho, compôs bem a lateral esquerda
Gonças (3) Entrou bem e podia ter sido ainda mais explorado.
Pedro Sousa (3) Bela abertura no lance do golo e aquela bicicleta…
David Santos (1) Para recordar.
Afonso Martins (1) … idem