Estoril adiou decisão da subida do Olho Marinho

0
478
Olho Marinho rematou muito mas não foi eficaz

Pavilhão Municipal de Óbidos
Árbitros: Ruben Rocha e Hugo Mendes; Cronometrista: Ricardo Filipe, A.F. Coimbra
OLHO MARINHO 3
Carlos Paulo, Rafa “C”, Tiago Costa, Paulo Fonseca, Porfyrio, Xuxu, Buzuzu, Vítor Hugo, David Silva, Giló, Chinoby, Luís Pina e Chico
Treinador: Ricardo Lobão
ESTORIL 3
João Duarte, Cacau, Pedro Martins, Pedro Gomes, Luisinho “C”, Samuka, Zé Maria, Fernando Ramalho, Pedro Martins, Bruno Gomes, Pedro Gomes, Cláudio Santos, Diogo Gomes e Gonçalo Rodrigues
Treinador: Marco Loureiro

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Cacau (4’), Cláudio Santos (27’ e 32’), Xuxu (29’), Buzuzu (33’) e David Silva (G.P. 37’)
Disciplina: Cartão amarelo a Cláudio Santos (18’), Samuka (25’), Carlos Paulo (35’), Luisinho (37’) e Rafa (37’)

O Olho Marinho está a fazer uma época memorável na II divisão nacional de futsal e chegou em primeiro lugar à penúltima jornada da fase de apuramento do campeão (que dá ao vencedor o acesso à elite do futsal em Portugal). Os obidenses, que tinham vencido todos os jogos menos dois empates e quatro derrotas, tinham três pontos de vantagem face ao segundo.
A vitória assegurava o título aos da casa, mas pela frente tinham o Estoril, que havia vencido os três confrontos anteriores entre as duas equipas esta época. O empate chegaria, se no Algarve o Portimonense empatasse com o Reguilas Tires, o que não aconteceu.
Os da casa entraram com tudo, a tentar fazer o seu jogo, sem medo de ter a bola e a pressionar alto. Já o Olho Marinho tinha feito quatro remates quando Cacau deu o melhor destino a uma jogada simples a aproveitar um erro na saída dos obidenses.
Até ao intervalo a toada do jogo manteve-se, com os visitantes mais confortáveis com a vantagem, a gerirem o jogo, apertando as marcações. Quando as equipas desceram para as cabines o Olho Marinho já tinha 20 remates contra metade do Estoril, mas ia a perder por um.
O início da segunda metade foi uma fotocópia da primeira, com os da casa a não conseguirem marcar e Cláudio Santos a deixar o lotado pavilhão em silêncio por um segundo quando ao segundo poste confirmou o 0-2.
Pouco depois, Xuxu reduziu e as bancadas “explodiram”. Com o apoio do público os da casa tiveram várias chances para fazer o empate, mas o empate foi Cláudio Santos quem foi mais eficaz na recarga de um livre, aumentando de novo a vantagem canarinha.
Ricardo Lobão lançou guarda-redes avançado e logo obteve resultados, com Buzuzu a fazer o 2-3 a passe de Vítor Hugo, que foi o mais rápido a reagir a uma defesa apertada de Gonçalo a remate de Paulo Fonseca.
Aos 37’ foi assinalada uma grande penalidade por mão de Luisinho na bola depois de um remate lateral de Vítor Hugo. David Silva concretizou o empate e a emoção manteve-se até ao fim, com os da casa a terem mais quatro boas oportunidades para marcar, incluindo uma bola no ferro, e a verem o seu guardião, Carlos Paulo, fazer uma defesa épica, vindo a correr do banco para segurar o empate.
Com a divisão de pontos as decisões ficaram adiadas para a última jornada, que se disputa amanhã, 18 de Maio. A partir das 16h00, em Coimbra, o Olho Marinho defronta o CS São João (4º classificado) e o Portimonense joga em casa do Estoril.