João Almeida conservou terceiro posto no Tirreno Adriatico

0
182

João Almeida foi hoje novamente o oitavo a cruzar a meta, numa difícil quinta etapa que deu ao esloveno da Jumbo Visma, Primosz Roglic, a liderança de todas as camisolas (dos pontos e da montanha, além da azurra, da geral) menos a Maglia Bianca, da juventude, que pertence ao ciclista caldense da UAE Emirates.

João Almeida conserva assim o terceiro posto no pódio da geral e está a apenas 12 segundos do primeiro e a quatro de Leonard Kamna (da BORA), que perdeu hoje a liderança da geral.

A quinta etapa, que era a etapa rainha deste ano, correu-se entre o Morro d’Oro e Sarnano-Sassotetto, com 168 quilómetros e muitas subidas. Depois de uma tirada de perfil exigente, o pelotão encontrou uma subida final complicada. João Almeida conseguiu ir-se mantendo no grupo da elite, seguindo, enquanto foi possível, na roda de Roglic. Apesar de perder o contacto, no último quilómetro foi recuperando e chegou no grupo dos primeiros. O ciclista natural de A-dos-Francos conseguiu ser o oitavo a cruzar a meta e, assim, manter a sua posição na geral.

Para a sexta etapa, amanhã, está prevista uma nova difícil tirada, com 193 quilómetros, entre Osimo Stazione e Osimo e que promete espetacularidade. “De acordo com a tradição, esta será a icónica “tappa dei muri”, ou seja, o palco da parede”, informa a organização.

O percurso começa com um grande circuito em Osimo Stazione, que é percorrido apenas uma vez. Depois entra num novo circuito desafiador, com quatro elevações, que é percorrido por três vezes. A primeira elevação leva a Offagna, seguindo-se a Abbazia e depois duas exigentes subidas até à Via Roncisvalle e a Via Olimpia.

“Os últimos dez quilómetros são extremamente desafiantes. A rota entra em Osimo para enfrentar o “muro” da Via Roncisvalle, que continua ao longo da Via del Borgo”, explicam. A reta final tem 300 metros de comprimento, em asfalto.

O Tirreno-Adriatico termina no domingo, com uma etapa de consagração maioritariamente plana, com 154 quilómetros, em San Benedetto del Tronto, pelo que o dia de amanhã deverá ser agitado, com ataques daqueles que ainda queiram mexer na classificação e tentar roubar a Maglia Azurra a Roglic.

Recorde-se que na etapa inaugural, com mais de 11 quilómetros em contrarrelógio, o ciclista caldense conseguiu um sétimo lugar, vindo a ganhar uma posição no dia a seguir e mais três ontem. Hoje manteve o terceiro lugar.