O Caldas garantiu este domingo, a uma jornada do fim, a manutenção na Liga 3 ao empatar a um golo com o Oliveira do Hospital, numa partida em que os pelicanos tiveram que recuperar de uma desvantagem de um golo contra uma formação que defendeu de forma aguerrida.

O Oliveira do Hospital chegou à vantagem ao minuto 13 por David Brás, numa altura do jogo em que era o Caldas que comandava as operações. O lance começou com canto para o Caldas, Válter pegou na bola à entrada da sua grande área e correu veloz até ao outro lado do campo, onde ofereceu o golo ao capitão.

A partir do golo os bairradinos fecharam o bloco e o Caldas sentiu grandes dificuldades para criar espaços. Isso mudou na segunda parte, com José Vala a mexer bem na equipa, com a entrada de Villela a dar maior poder de aceleração ao jogo do Caldas pelo recuo de Pepo e Tarzan.

Com mais verticalidade e capacidade para atacar em progressão, o Caldas foi encostando o Oliveira do Hospital às cordas e o golo surgiu de forma justa aos 75 minutos, de grande penalidade, após um remate de André Perre ter sido desviado pelo braço de um defensor dos visitantes.

O ponto chegava para manter o Caldas e, com o jogo a aproximar-se do fim, o Oliveira do Hospital fez pela vida e, no último lance do jogo, num canto, Edson obrigou Diogo Garrido a uma grande defesa que se revelou decisiva. Na recarga a bola ainda entrou na baliza, mas havia fora-de-jogo do autor do remate.

No final da partida, o Caldas prestou homenagem a André Simões, que ao entrar nos minutos finais completou 300 jogos pela equipa principal. O camisola 55 vai terminar a carreira no final da época.