Liga 3: Caldas vence, mas “morre” com a praia à vista

0
344
Gonçalo Chaves entrou e no primeiro lance fez o golo da vitória do Caldas. Foto: FPF

O Caldas fez o que precisava para seguir para a fase de subida, mas não teve “ajuda” nos outros campos, terminou a fase no sexto posto, a apenas um ponto de um lugar apurável e a três pontos do primeiro lugar.

O Sp. Covilhã veio às Caldas com a presença garantida na fase de subidas e a jogar descontraído. A formação da Serra da Estrela jogava bem organizada, a deixar o Caldas trocar a bola longe da baliza, mas a apertar os espaços no último terço do terreno.

O Caldas começou a procurar entrar com jogo direto, tirando partido do poder do jogo aéreo de João Tarzan, que foi ganhando duelos junto da área contrária, mas com alguma falta de apoio essas bolas acabavam anuladas pela defensiva dos serranos.

Exceção feita a um livre, ao quarto de hora, em que a bola furou a muralha defensiva e quase ficou à mercê de João Tarzan para a finalização na cara de João Gonçalo, valendo ao Sp. Covilhã a certeza do seu guardião na abordagem ao lance, o Caldas não conseguiu criar lances de perigo.

Já o Sp. Covilhã, que tinha nas combinações entre Chico Cardoso e Zé Tiago alguns lances de perigo para as malhas defendidas por Diogo Garrido, acabou por chegar ao golo ao minuto 27, embora sem o envolvimento da dupla. Centro de Gildo da direita, Opeyemi entra ao segundo poste para inaugura o marcador e gelar a Mata.

Ao intervalo, o panorama estava negativo para os alvinegros, que além de estarem a perder, viam o Sporting B a bater um Pêro Pinheiro já reduzido a 10 jogadores.

Mas no Caldas não baixaram os braços. Ao intervalo, José Vala deixava no balneário Januário, Edu e Villela para lançar Henrique Henriques, Farinha e Gonçalo Barreiras. O 5-2-3 transformava-se num 4-3-3, a pedir mais dinâmica aos movimentos ofensivos da equipa e nas alas.

A nova abordagem deu resultado. Ao minuto 58, boa combinação coletiva à esquerda, André Perre colocou na área, Tarzan assiste com um toque de magia e oferece o empate a Pepo, que não perdoou com um remate forte e colocado.

A Mata entusiasmou-se e na bola de saída, Tarzan desarmou um adversário e seguiu com perigo para a baliza, mas acabou por escorregar quando tentava encontrar um companheiro melhor colocado para finalizar.

Sempre com Tarzan no centro das atenções, ao minuto 63 o avançado sofreu entrada dura de Adams, que o atingiu na face e foi expulso. Foi também a última ação do 33 do Caldas no jogo, que teve que abandonar. Mas o livre deu golo. Gonçalo Chaves mal teve tempo de chegar à área, mas chegou, Clemente bateu bem para a entrada da pequena área e o avançado acabado de entrar salto e cabeceou para o golo da reviravolta.

O problema é, que nos outros campos, as notícias não eram as melhores, com Alverca e Sporting B a vencerem os seus jogos e o Atlético a pontuar em Coimbra.

O Caldas terminou a fase com 29 pontos, a 1 de Sp. Covilhã e Sporting B, ambos com 30, equipas sobre as quais teria, na eventualidade de igualdade pontual, vantagem no campeonato a três.

Seguem para a fase de subida a Académica, o Atlético, o Alverca e o Sp. Covilhã. O Caldas segue com Sporting B, Oliveira do Hospital, Amora, Pêro Pinheiro e 1º Dezembro para a fase de manutenção, com 5 pontos, menos um que o Sporting B. O Oliveira do Hospital começa a fase com 4, o Amora com 3, o Pêro Pinheiro com 2 e o 1º Dezembro com 1 ponto. Das seis, duas serão despromovidas ao Campeonato de Portugal.