António Morgado continua a mostrar-se em bom plano no World Tour

0
554

Depois de uma estreia prometedora na Figueira Champions Classic, o ciclista caldense António Morgado tem-se voltado a mostrar em bom plano no World Tour na 50ª Volta ao Algarve, que se iniciou no dia 14 de fevereiro e que termina amanhã, dia 18.

Depois de uma primeira etapa para os sprinters, o salirense conseguiu um 11º lugar na segunda tirada, cruzando a meta no Alto da Fóia a 20 segundos do primeiro, Daniel Martinez (Bora Hansgrohe), que foi o mais forte, batendo o belga Remco Evenepoel (Soudal-Quickstep) numa luta pela vitória.

António Morgado acabou à frente de nomes como Magnus Cort, Wout Van Aert, Ben Healy, Magnus Sheffield ou Stefan Kung, entre outros, numa chegada complicada, sendo o melhor da UAE Emirates, à frente dos suíços Jan Christen e Marc Hirschi.

Com as contas das bonificações, o português ficou em 11º, a 30 segundos do líder colombiano e passou a envergar a camisola branca, de líder da juventude, mantendo-a no dia seguinte, na chegada a Tavira (embora perdendo um lugar na geral).

Em 12º na geral à partida para a quarta etapa, um decisivo contrarrelógio de 22 quilómetros que permitia fazer grandes diferenças, o caldense tinha Scaroni (Aztana) a dois segundos, Landa (Soudal-Quickstep) e Arensmann (INEOS) a sete, Van Aert (Visma) a oito e Tratnik (Visma), Geoghegan Hart (Lidl Trek) e Pidcock (INEOS) a 12. Depois, no caminho para o topo, António Morgado encontrava Higuita (BORA) a 14 segundos e ainda Sepp Kuss (Visma), que fechava o pódio a 12 segundos do líder e com 18 de vantagem sobre o caldense.

No contrarrelógio, que colocou Remco Evenepoel na liderança, António Morgado foi o 15º melhor, conseguindo com esse resultado subir três lugares na geral, entrando no top10 (o que lhe permitirá entrar na derradeira etapa, amanhã, na 9ª posição, a 1 minuto e 39 segundos do primeiro). Apesar da boa prestação, o salirense viu Magnus Sheffield (INEOS) a assumir a camisola da juventude, depois de ser segundo na etapa, mas mantém-se como o melhor classificado da UAE Emirates à partida para o Alto do Malhão.

Após somar pontos para o ranking UCI nas duas primeiras provas em que participou (dez no Santos Tour Down Under e dez na Figueira Champions Classic), o salirense volta a mostrar-se em bom plano.