Carnaval no Oeste com milhares de pessoas

0
295
Nas Gaeiras retomou-se a tradição que tinha sido suspensa na última década

São Pedro não colaborou, mas um pouco por toda a região houve festejos carnavalescos, com desfiles e bailes

Para aqueles que gostam do Carnaval, o Oeste tem uma panóplia de celebrações que vale a pena conhecer e viver. E, mesmo com o São Pedro pouco colaborante, um pouco por toda a região realizaram-se festejos, nalguns casos com verdadeiras multidões.
Este ano, nas Gaeiras reativou-se o Carnaval, que teve uma grande tradição na vila, mas deixou de se realizar na última década.
O Carnaval à Cubano iniciava-se com o corso infantil, no dia 9, mas foi cancelado devido às condições meteorológicas adversas.
O arranque deu-se então com a receção aos reis, no dia 10. Vindas de Óbidos, suas majestades cubanas fizeram sátira entre Caldas e Óbidos num Carnaval que é “muito temático, com sátiras locais”, explicou o presidente da Junta de Freguesia, Ricardo Duque.
“Decidimos reativar o Carnaval e convidar as associações para fazerem parte”, esclareceu, notando que é uma forma de realizarem receitas.
No domingo não houve desfile, que, apesar da chuva, saiu à rua na tarde de terça-feira. No regresso, com dez carros e 400 foliões inscritos, houve crítica política, por exemplo, relativa à construção de uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, uma obra há muito ansiada na freguesia, ou com outras ideias de possíveis investimentos entretanto apresentados pela Câmara e pela Junta.
O tema inspira-se na forma como os obidenses se referiam aos habitantes das Gaeiras (cubanos).
“Este é um corso trapalhão, que vive do voluntariado e que tem um orçamento muito reduzido”, frisou o autarca, destacando o envolvimento da comunidade.
Para encerrar o regresso do Carnaval às Gaeiras estavam previstas as “Exéquias Cubanas”, no Largo de São Marcos, na noite de quarta-feira.
As multidões pelo Oeste
Por Torres Vedras, por aquele que é o Carnaval mais português de Portugal, este ano tivemos o “Carnaval do Futuro”.
São, todos os anos, milhares de foliões de todo o país que escolhem este já afamado destino para se divertirem nesta época do ano.
Devido às condições meteorológicas adversas, a entrega das chaves da cidade decorreu este ano no Pavilhão Multiusos e o corso infantil teve que ser cancelado.
No sábado saíram à rua 34 grupos de mascarados com um total de 1600 participantes. Na noite de segunda-feira houve o desfile trapalhão e na terça-feira novo desfile.
Mas, lá está, o Oeste é rico em celebrações de Carnaval e, além de Torres Vedras, há um outro que é imperdível e afamado a nível nacional. Falamos da Nazaré, que todos os anos também recebe milhares de visitantes.
Sob o mote “Tá mea praia alevantada”, cerca de 1300 participantes de 25 grupos e mais de uma dezena de carros desfilaram na noite de sábado e na tarde de domingo, num percurso que acabou por ser encurtado devido ao mau tempo. Terça-feira houve novo desfile.
No concelho de Alcobaça também há uma grande tradição de festejar esta época, com festas um pouco por todo o concelho, como são exemplos a tenda em frente ao Mosteiro e os carnavais da Benedita e de Alfeizerão, que pela proximidade às Caldas, costumam atrair também os caldenses.
Este ano o grupo da ACR Campo, mascarado com personagens do filme da Alice no País das Maravilhas, foi também desfilar à Benedita e conquistou uma menção honrosa. ■