CDS-PP não apoia candidatura de Fernando Costa a Leiria

0
1041

Já não há coligação entre o CDS-PP e o PSD em Leiria. As bases estavam de acordo e até chegaram a combinar nomes, mas a estrutura nacional centrista assim não o entendeu, decidindo apresentar-se com candidato próprio à capital de distrito.
O candidato social-democrata, Fernando Costa, diz que sempre teve algumas dúvidas de que a estrutura nacional do CDS-PP concordasse com esta coligação, lembrando que o partido agora liderado por Assunção Cristas, já não se quis juntar a ele em Loures, nas últimas eleições autárquicas.

O PSD e o CDS-PP vão concorrer de forma autónoma à Câmara de Leiria, depois das concelhia e distrital centristas terem manifestado apoio à candidatura de Fernando Costa. A decisão foi da estrutura nacional do CDS-PP, o órgão que, de acordo com os estatutos centristas, decide as candidaturas para capitais de distrito com mais de 100 mil habitantes.
“Leiria é a capital de distrito onde a presidente do partido [Assunção Cristas] foi eleita e, por isso, quer concorrer com um candidato próprio”, explicou o presidente da distrital, Manuel Isaac à Gazeta das Caldas.
Este responsável diz não ter conhecimento de que o motivo para não haver coligação esteja relacionado com o facto do candidato ser o ex-presidente da Câmara das Caldas, Fernando Costa, mas reconhece que as declarações que fez sobre o anterior líder do CDS-PP, Paulo Portas, no caso dos submarinos, “não ajudaram em nada”.
Manuel Isaac diz que havendo coligação teria mais hipóteses de ganhar a Câmara e informa que o candidato ainda não está definido, o que deverá acontecer nas próximas semanas. O ex-vereador caldense disse ainda não estar disponível para concorrer à Câmara de Leiria nem sequer integrar as listas àquela autarquia. “Se for candidato será nas Caldas e à Assembleia Municipal”, disse.
Fernando Costa informou que foram feitos alguns encontros para acordar lugares na lista de coligação, já que as estruturas locais e distritais dos dois partidos estavam de acordo. O autarca recorda que em Leiria estes dois partidos concorreram coligados nas últimas europeias e legislativas e que conhece muitos dos elementos centristas no concelho, pessoas por quem tem “a máxima consideração”.
Contudo, não esconde que teve sempre algumas dúvidas de que a estrutura nacional do CDS-PP concordasse com esta coligação, lembrando que já não se quis juntar a ele em Loures nas últimas eleições autárquicas. Considera que se trata de uma reacção à resposta que deu a Paulo Portas quando este se referiu aos autarcas sociais-democratas como “caciques” e “promotores de clientelas”. Costa contrapôs que Paulo Portas, enquanto ministro da Defesa, deveria ter-se preocupado em contribuir para esclarecer a situação dos submarinos. “Nunca ataquei Paulo Portas em termos de honestidade política, mas sim que, enquanto governante, devia ter contribuído para esclarecer a verdade sobre o caso dos submarinos e dos sobreiros [no caso Portucale]”, disse à Gazeta das Caldas.
O candidato social democrata acredita que vai ganhar a Câmara de Leiria e considera que o CDS-PP até está a dar uma ajuda para isso, “ao não querer uma coligação por eu ser contra a corrupção”, afirma.

Abertura do aeroporto de Monte Real à aviação civil

Fernando Costa defende a criação de um movimento que congregue autarquias, entidades empresariais, organismos de turismo e associações cívicas, a favor da abertura do aeroporto de Monte Real à aviação civil. O candidato social-democrata critica o governo e o actual presidente da Câmara de Leiria, Raul Castro, por não defenderem esta solução que, considera, “iria valorizar bastante toda a região”.
O ex-presidente da Câmara das Caldas vê com bons olhos uma candidatura de Leiria a Capital da Cultura em 2027, mas entende que esta deve ter um âmbito mais abrangente. O projecto “deve englobar Leiria e as cidades com maior peso cultural à sua volta, como é o caso da Batalha, Pombal, Caldas da Rainha e Óbidos”, disse.
Já o estádio de futebol Dr. Magalhães Pessoa, criado para o Euro 2004 e que tem sido um sorvedouro de dinheiro para a autarquia, poderá ser aproveitado e até rentabilizado, opina o candidato. “O topo norte do estádio pode ser transformado num centro de congressos”, exemplificou.
Fernando Costa propõe também a diminuição do IMI em Leiria em 25%, assim como das taxas municipais da água e saneamento e promete estar atento à qualidade das obras que são da responsabilidade da autarquia.