Espantalhos alegram espaços do Valado de Sta. Quitéria

0
590

Até ao fim de agosto, há espantalhos para apreciar na aldeia do Valado. Iniciativa já soma sete anos e atrai miúdos e graúdos àquela aldeia

Está a decorrer, no Valado de Santa Quitéria, o Espanta Festival. À porta das casas, das escolas e de associações podem ser apreciados vários espantalhos que têm a particularidade de serem feitos de materiais recicláveis.
A iniciativa é da Associação Recreativa e Desportiva Quiterense e já se realiza pelo sétimo ano consecutivo. E tem atraído famílias e gente de todas as idades que não querem perder as propostas deste ano feitas ao saber da criatividade dos moradores
Podem ser vistos vários tipos de propostas desde alguns mais tradicionais até fantasmas e espantalhos- surfistas reaproveitando materiais de um morador, cujo filho possui uma escola de surf.
“Reaproveitamos tudo o que é velho para depois poder criar os nossos espantalhos nesta altura do ano”, disse Laura Mesquita que pertence à associação e que tem a tarefa de auxiliar na organizar esta iniciativa anual.

Apreciar até ao fim do mês
As diferentes propostas de espantalhos – os bonecos que antes se usavam para espantar os pássaros das searas e das hortas – começam a ser colocadas pelos moradores em início de julho e ficam expostos por toda a localidade até ao final deste mês.
A edição do ano passado foi incluída no programa “Domingão” na SIC, o que acabou por contribuir para chegar a um público mais vasto.
No último fim de semana de agosto, as propostas do Espanta Festival serão avaliadas por um júri. Este último é constituído por três elementos que vão decidir quais são os três melhores espantalhos da edição deste ano.
Os critérios que os avaliadores vão ter em conta em relação aos espantalhos são: a criatividade, a visibilidade e ainda será avaliada a questão da reutilização dos materiais com que os moradores deram vida aos seus bonecos .
Segundo Laura Mesquita, não faltam visitas organizadas para conhecer os novos espantalhos do Valado de Sta. Quitéria pois é crescente o número de visitantes que vêm a esta aldeia para os fotografar e para obter selfies.
Constata-se também visitas organizadas de entidades como de centros de dia.
Os prémios para os vencedores, em cerâmica, são feitos no atelier Arte Zen de Laura Mesquita e têm o apoio da Junta de Freguesia de Alfeizerão. ■