Exposição de cerâmica autorada por pequenos artistas esteve patente na Escola d’Aldeia

0
1169

A Escola d’Aldeia, no Casal da Areia, Torre, recebeu, no passado domingo, 25 de junho, a exposição dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos da Escola Básica de Salir de Matos no âmbito dos ateliers de cerâmica dinamizados por Sílvia Jácome, entre 16 e 19 de maio.

Foram 99, ao todo, as obras em exposição, dos alunos do jardim de infância até ao 4.º ano, totalizando cinco turmas. O tema eram os animais, em decorrência da visita de estudo ao Jardim Zoológico que os alunos haviam realizado neste ano letivo.

O tema da sala do jardim de infância foram os animais do bosque, que, com uma forma, os alunos imprimiram numa superfície de barro, podendo ainda complementar com outras texturas, como folhas ou fitas. Os alunos do 1.º ano fizeram pássaros, os do 2.º ano criaram peixes, os do 3.º ano ouriços-cacheiros e os do 4.º ano polvos. Os alunos criaram os animais em barro, usando as técnicas da lastra, da bola e do rolinho, e seguidamente pintaram as suas obras com tinta de engobe, própria para pintar no barro cru.

Sílvia Jácome demonstrou, para todos, o modo de execução dos animais, tendo deixado o resto ao critério e criatividade dos pequenos ceramistas. No final, cozeu e vidrou as peças no seu forno cerâmico, tendo optado por realizar uma exposição com os trabalhos antes de os ir entregar à escola (na passada terça-feira, 27 de junho). A ideia foi que os pequenos pudessem mostrar à família o seu trabalho e assim proporcionar momentos de alegria e cumplicidade.

Sílvia Jácome fez um balanço “muito positivo” da atividade, que lhe deu grande prazer em dinamizar, “de coração”, apesar da obrigação de preterir o seu trabalho pessoal. “O ano passado, quando o meu filho foi para o 1.º ano, propus ao professor que eu fosse dinamizar uma oficina de cerâmica para a sua turma, que correu muito bem, e este ano partiu do professor a iniciativa de me convidar. Porém, achei que devia também expandir a oportunidade às outras salas, porque acredito que as crianças têm todas os mesmos direitos, e até porque a maior parte também nunca experimentou”, explicou.

“Fiquei muito feliz ao ver o envolvimento das crianças durante as duas horas da atividade. As mais irrequietas serenaram e houve uma que até me disse que aquela estava a ser a melhor tarde de sempre. Como costumo dizer, o barro é mágico, e as crianças também o sentem. Adoro poder fazer estas atividades com elas”, declarou. “Como mãe, considero muito importante poder partilhar um bocadinho do que sei fazer com estas crianças”, afirmou ainda, esperando que o seu exemplo inspire outros pais.

As crianças vieram com os pais e avós ver os seus trabalhos, e não esconderam a satisfação por encontrar a sua criação e a mostrarem à família. No final da visita à exposição, correram para o pátio da antiga escola primária da Torre, onde se divertiram no seio do espaço verde e com um denso pinhal como pano de fundo.

O professor Luís, professor titular do 2.º ano, que o filho de Sílvia Jácome frequenta, afirmou que, para o próximo ano letivo, voltaria a estender o convite aos pais para dinamizarem atividades.

Custódio Sousa, famoso defesa central dos seniores do Caldas Sport Clube dos anos 1970 e até meados dos anos 1980 (1983/84), visitou a exposição com a família porque a neta foi uma das artistas. Declarou-se “encantado” com o que viu e realçou o “trabalho deles e a paciência da professora, que sei que só deu umas bases e o resto foi a imaginação das crianças, o que também é de louvar”.

A iniciativa contou com o apoio da Junta de Freguesia de Salir de Matos, que financiou os materiais.