PCP/CALDAS

0
629

Não ao encerramento da Agência da CGD

Perante a notícia que perspectiva o encerramento da agência da CGD, na Praça da República, em Caldas da Rainha, o PCP manifesta o seu repúdio frontal por tal decisão. Situada no coração da cidade, na popular «Praça da Fruta», que gera movimento activo e com uma enorme afluência quotidiana de pessoas, esta medida, a concretizar-se, redundará num evidente e indesmentível prejuízo para os utentes, criando tendencialmente maiores dificuldades e tempos de espera ainda mais alargados na única instalação que ficará em funcionamento.
Por outro lado, importa perceber que a situação dos trabalhadores da Caixa ficará de igual modo severamente afectada, quer pela decorrente sobrecarga de tarefas, quer pela possibilidade, ainda não afastada, de ocorrerem deslocações, despedimentos e rescisões, com a eliminação de postos de trabalho.
Este comportamento da administração do Banco público, desejando eliminar centenas de agências por todo o país, revela a predominância de métodos de gestão que não têm em conta a responsabilidade inerente à sua condição nem o interesse geral das populações e vem somar-se a um conjunto de gestos inaceitáveis, entre os quais sobressai o aumento significativo de taxas e comissões.
O PCP bater-se-á, por todos os meios ao seu alcance, no plano nacional e no plano local, contra estas resoluções.

A Comissão Concelhia de Caldas da Rainha do PCP