PSD/ÓBIDOS – “Milhões de euros recebidos de receitas extraordinárias”

0
716

Tendo tomado conhecimento do comunicado emitido pela Concelhia do PS de Óbidos na última edição da Gazeta das Caldas, não pode a Comissão Política de Secção do PSD de Óbidos deixar de esclarecer e retificar junto da população um conjunto de imprecisões que foram divulgadas.
Apesar de existir um antigo provérbio que refere que “uma mentira dita mil vezes se torna numa verdade”, não pode a Comissão Política desta Secção permitir que isso aconteça.
Vem a concelhia do PS de Óbidos emitir, uma vez mais, um comunicado que mais não é que uma copia de um outro divulgado há cerca de quatro anos, de onde apenas concordamos com a afirmação de que é preciso credibilizar a política, coisa para a qual o comunicado da concelhia do PS não concorre.

Esta “manobra eleitoralista” demonstra aos cidadãos que existe um vazio de propostas estratégicas para o desenvolvimento do concelho, algo que a concelhia do PS de Óbidos nos tem presenteado durante o atual e anteriores mandatos.
Confirmamos que foi emitido, no período pré-eleitoral, um comunicado do PSD de Óbidos a informar que a Câmara Municipal teria, nessa altura, a receber, de terceiros, aproximadamente 10 milhões de euros e que esse valor seria suficiente para regularizar as dívidas do Município. No entanto, em momento algum, este partido afirmou que esse valor seria exclusivamente direcionado para liquidar dívidas.
Esta posição e entendimento só pode derivar de pessoas que não têm qualquer experiência em gestão autárquica. É inconcebível, para o PSD de Óbidos, pensar que este executivo iria, durante o atual mandato, apenas pagar dívida sem efetuar investimentos de interesse vitais para o desenvolvimento do concelho ao nível da educação, da ação social, do empreendedorismo, do desenvolvimento comunitário, entre outras áreas.
Durante o atual mandato, foram investidos milhões de euros na conclusão de investimentos considerados pelo executivo municipal como prioritários para o desenvolvimento do município, a destacar, os Edifícios Centrais do Parque Tecnológico de Óbidos, a Escola Secundária Josefa de Óbidos, requalificação do pavilhão municipal e dos restantes Complexos Escolares, os Jardins de Infância, a Rede de Espaços Criativos, as requalificações iniciadas no Largo de São Marcos das Gaeiras, o Complexo Vitivinícola de A-da-Gorda, e a construção de ecopistas pelo concelho.
Verificamos que existe uma visão política distinta entre os dois partidos sobre o desenvolvimento do município de Óbidos. Entendemos que a concelhia do PS defende que não se deveria investir na melhoria das condições de vida da população, para que no final do mandato, pudesse afirmar que não tinha dívidas a terceiros.
Em contrapartida, o actual executivo de Óbidos, acredita que se deve fazer um exercício de equilíbrio entre o valor das dívidas a terceiros e o investimento de que o concelho necessita para dotar as populações de melhor qualidade de vida, tendo sempre em conta a salvaguarda financeira do concelho.
É por isso é que o atual executivo outorgou um contrato para implementação do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano com o Programa Operacional Regional do Centro no valor de 4 088 235,29€ e um financiamento comunitário de 3.822.500 euros, o que corresponde a uma comparticipação na ordem dos 93,5%.
Viu ainda ser aprovado, no âmbito do pacto para o desenvolvimento e coesão territorial do oeste, um investimento de 2.722.352 euros, destinado à Requalificação da Muralha do Castelo de Óbidos, ao Plano de Combate ao Insucesso Escolar, ao Programa Mais Idade e ao Programa de Inclusão Social pelo Acesso à Cultura.
É por existir uma visão de desenvolvimento que, neste momento, o valor do investimento total no concelho atinge os 70.668.762 euros, a que corresponde a um valor, per capita, de  6.758 euros. Este investimento demonstra a confiança que os investidores e decisores têm na estratégia de desenvolvimento deste executivo  para o concelho.
Ao contrário do que foi comunicado pelo PS, em 2012, a dívida total da Câmara Municipal era de 11.008.736 euros, sendo que no final de 2016, a mesma, se encontrava em 7.889.113 euros , ou seja, existiu um decréscimo de 28,34% (-3.040.559 euros), conforme demonstrado nos documentos de prestação de contas publicados na página oficial do município.
São estas incorreções, muitas vezes traduzidas nos comunicados da concelhia do PS, que fazem com que as pessoas do nosso concelho, independentemente da sua natureza ou simpatia política, tenham cada vez mais relutância em se deslocar às mesas de voto.

A Comissão Política de Secção do PSD de Óbidos